PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Fique atento: problemas respiratórios pioram com o clima seco
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Fique atento: problemas respiratórios pioram com o clima seco

Fique atento: problemas respiratórios pioram com o clima seco

29/11/2011
  3187   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

No clima seco, com a baixa umidade do ar, podem se agravar alergias (rinossinusite e asma) e pode ocorrer ressecamento nasal, dor de cabeça e de garganta. Se a criança já é alérgica, pode sentir ainda dificuldade para respirar, coriza e tosse.

Leia também: Asma infantil: A importância dos medicamentos e do conhecimento!

Como os poluentes estão concentrados no ar, as crianças menores de cinco anos, cujo sistema imunológico ainda está em formação, são as principais vítimas desta época de clima seco.

Saiba mais sobre as rinossinusites

O nariz entupido faz as pessoas respirarem pela boca e por isso surgem infecções oportunistas. O nariz funciona como um filtro de ar, quando se respira pela boca, todas as impurezas, como vírus, bactérias e alérgenos, penetram mais facilmente no nosso organismo.

Para evitar todo este desconforto, o ideal é que os pais ofereçam líquidos às crianças para evitar a desidratação. É interessante lavar o nariz com soro fisiológico para umidificá-lo. Manter o ambiente arejado e colocar bacias com água ou toalhas úmidas nos quartos na hora de dormir também ajudam a combater esses problemas respiratórios.

Mas lembre-se: se a criança estiver prostrada e com febre, procure um pediatra para avaliar o quadro. Evite a automedicação.

Atualizado em 9 de fevereiro de 2024

Dra. Fátima Fernandes

Dra. Fátima Fernandes

Diretora Executiva do Instituto PENSI. Graduada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, com Residência Médica em Pediatria pelo Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo. É mestre em Alergia e Imunologia pela Universidade Federal de São Paulo e possui MBA em Gestão em Saúde pelo IBMEC.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • isabel disse:

    bb r/n pode levar a praia que cuidado eu tenho que ter com ele

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Isabel. Não levar seu bebê recém-nascido à praia é o mais indicado. Mas, se mesmo assim for levá-lo, procure evitar sol direto, nunca entre 10 e 17 horas, ofereça de mamar com frequência, vista roupas leves, use protetor solar, evite água do mar, areia e permaneça sobre a sombra. Tudo isto para ficar pouco tempo na praia (no máximo 1 hora).

      Atenciosamente,

      Hospital Infantil Sabará.

    • Saurabh disse:

      How cute! I found your blog thru Mama’s Little Nestwork. I too am trying to raise my kids with both of their clreuuts…American and Mexican. Which isn’t always easy to do, since we’re living in Mexico. 🙂 I’m your newest follower. 🙂

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.