PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Níveis elevados de colesterol em crianças
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Níveis elevados de colesterol em crianças

Níveis elevados de colesterol em crianças

30/06/2014
  4148   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

A aterosclerose (ou “endurecimento das artérias”) geralmente se torna aparente na idade adulta. Os processos fisiológicos que causam placas que se aderem às paredes das artérias, obstruindo-as e, portanto, interferindo no fluxo de sangue, começa na infância. Os níveis de colesterol no sangue podem ser um indicador do processo desta doença em curso.

Nos adultos, os níveis elevados de colesterol total e de lipoproteína de baixa densidade (LDL ou “mau” colesterol) estão associados com um maior risco de aterosclerose. Curiosamente, níveis baixos de lipoproteínas de alta densidade (HDL ou “bom” colesterol) também estão associados com o desenvolvimento de aterosclerose, mas se houver uma maior quantidade deste colesterol HDL, ela é protetora. Os níveis sanguíneos elevados de LDL promovem o depósito de colesterol e outras substâncias gordurosas nas paredes das artérias, mas as HDL funcionam como captadoras na corrente sanguínea, promovendo a remoção do colesterol que pode danificar as artérias.

Estudos não são tão conclusivos sobre o significado dos níveis de colesterol na infância. Parece haver um elo fraco entre colesterol elevado de um jovem e seu risco de ter colesterol alto como um adulto.

Atualmente, a Academia Americana de Pediatria não recomenda o rastreio de colesterol de rotina para todas as crianças. Ela aconselha triagem naquelas crianças cujos pais têm uma história de níveis elevados de colesterol ou ataques cardíacos precoces (antes de cinquenta anos de idade).

E sobre o tratamento de uma criança com níveis elevados de colesterol (hipercolesterolemia)?

Algumas formas desta doença (hipercolesterolemia familiar) são herdadas e são causadas pelo metabolismo anormal de gorduras, levando a níveis anormalmente elevados de gorduras no sangue, incluindo o colesterol. Eles geralmente necessitam de terapia durante a infância, incluindo mudanças na dieta, exercícios e medicação.

Algumas formas não herdadas de hipercolesterolemia, no entanto, são geralmente menos severas, e o tratamento continua controverso. O seu médico poderá recomendar modificações na dieta, que visam reduzir o consumo de gordura e colesterol.

A Academia Americana de Pediatria sugere uma média de 30% das calorias provenientes de gordura (com menos de um terço a partir de gorduras saturadas) e uma ingestão de colesterol de não mais de 300 miligramas por dia.

Estudos sobre os adultos também têm mostrado uma ligação entre a redução de peso e um declínio no colesterol total e LDL. Aumentos na atividade física regular, incluindo exercícios aeróbicos, têm sido associados com o aumento do HDL (“bom” colesterol) também.

Leia também: Colesterol em criança e adolescente também é motivo de preocupação

Fonte:  Caring for Your School-Age Child: Ages 5 to 12 (Copyright © 2004 American Academy of Pediatrics)

As informações contidas neste site não devem ser usadas como substitutas para o tratamento médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Atualizado em 14 de junho de 2024

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

(CRM-SP 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, com especialização na Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduação em Gestão na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás, David e Benjamim.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.