PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Os preparativos para a volta às aulas
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Os preparativos para a volta às aulas

Os preparativos para a volta às aulas

30/01/2013
  2076   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Janeiro já acabou e, junto com ele, terminaram as férias escolares do Ensino Fundamental e Médio. No final do mês, crianças e adolescentes se preparam para a volta às aulas.

A pausa das férias é importante para que os alunos recuperem as energias e deem um descanso das rotinas para brincar e se divertir dando aos seus cérebros novos e diferentes estímulos. A pausa das atividades rotineiras é um fator importante para a saúde mental do indivíduo, seja ela diária (quando dormimos), seja ela semanal (quando descansamos) ou anual, nas férias. Esta quebra de rotina, com menos compromissos e obrigações, fazem com que nossos cérebros se recomponham, prevenindo estresses ou sobrecargas.

A volta às aulas implica em retomar a rotina e isto pode ser mais difícil para alguns. Cabe aos pais e cuidadores estarem atentos para ajudarem as crianças e os jovens a se readaptarem ao dia a dia costumeiro, como fazê-los dormir em um horário adequado, assim como ajudá-los a acordar e a se organizar de acordo com o novo horário. Algumas épocas são mais difíceis, como o início do primeiro ano, do sexto ano e do primeiro ano do Ensino Médio. Nessas séries se muda a forma de ensino (na maioria das escolas) e, dependendo da maturidade da criança, podem ocorrer dificuldades. Se for o caso do seu filho, fique atento.

Em relação aos lanches, os pais também devem se preocupar. Se for preparado em casa, procure fazer refeições saudáveis com preferência para alimentos caseiros (bolos, bolachas) ao invés dos industrializados. Evite salgadinhos e refrigerantes e dê chance às frutas e aos sucos. Se seu filho compra na lanchonete da escola, oriente-o a evitar as frituras e as guloseimas.

Outra preocupação de nós pediatras é com o excesso de peso carregado pelos alunos em suas mochilas. Todo ano escrevemos sobre isso, mas não custa lembrar. Mochilas devem ser carregadas nos ombros, com as duas alças vestidas de forma simétrica, a fim de dividir o peso igualmente nos dois lados. Seu peso não deve exceder 10% do peso da criança. Uma criança de 20 Kg (4-5 anos), por exemplo, não deve carregar mais que 2 Kg. Uma de 40 Kg, não deve carregar mais do que 4 Kg. Se ela for mais pesada que o ideal e não há jeito de diminuir os livros e outros materiais, pense em uma mala com rodízios.

Veja também estas postagens do nosso blog:

Os cuidados com a ingestão de sal

Dicas para melhorar a alimentação dos seus filhos

A ansiedade de separação infantil

Bullying e exclusão podem prejudicar jovens

Mochilas escolares: Como usá-las adequadamente?

Atualizado em 17 de abril de 2024

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

(CRM-SP 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, com especialização na Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduação em Gestão na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás, David e Benjamim.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.