PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Ruas para vida, para as pessoas e para o planeta
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Ruas para vida, para as pessoas e para o planeta

Ruas para vida, para as pessoas e para o planeta

26/05/2021
  298   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Acidentes são a principal causa de morte de crianças de 1 a 14 anos no Brasil. Por ano, mais de 3.300 meninas e meninos morrem por esse motivo e outras 112 mil crianças são internadas em estado grave. De acordo com dados mais recentes do Ministério da Saúde, cerca de 3,3 mil crianças brasileiras morrem por ano vítimas de acidentes e, em média, 112 mil são hospitalizadas só na rede pública de saúde por esse motivo.

Do total de mortes de crianças de zero a 14 anos em acidentes de trânsito (1.010 casos em 2018), 53% (534) ocorreram quando elas estavam na condição de ocupantes de veículo e 27,5% (278) foram devido a atropelamentos.

Ultrapassar o limite de velocidade permitido é apontado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma das principais causas de acidentes do mundo. De acordo com o Relatório de Status Global de Segurança Viária da ONU de 2018, acidentes de trânsito são, hoje, a principal causa de morte de pessoas entre 5 e 29 anos e ainda, que cerca de 1,35 milhão de vidas são perdidas anualmente no trânsito mundial. Apesar de reconhecer a importância dos cuidados com a velocidade, o relatório aponta que não foi feito muito progresso na área.

Em nossas ruas, no mundo todo, por onde andamos, brincamos e vivemos, pedimos ação na velocidade. Ruas habitáveis ​​e de baixa velocidade são essenciais e urgentes.

  1. Urgente porque as baixas velocidades salvam vidas.
  2. Urgente para a saúde pública, ao tornar a caminhada e a bicicleta mais seguras e acessíveis, possibilitando e incentivando estilos de vida saudáveis. As ruas habitáveis ​​são mais cruciais do que nunca, conforme respondemos ao COVID-19.
  3. Urgente para os Objetivos de Sustentabilidade Globais (ODS) da ONU e para o nosso clima, como uma chave que abre um ciclo virtuoso de viagens ativas com zero carbono, mudando a dependência do carro, permitindo um transporte público próspero, um ar mais limpo e menos emissões de CO 2 .
  4. Urgente para a equidade social e racial, pois são as comunidades de baixa renda e minorias que estão mais expostas ao tráfego de alta velocidade e ao perigo rodoviário, ao risco ambiental e à exclusão social que isso causa.
  5. Urgente pelos direitos das pessoas com deficiência; Para os idosos; para todos os que são vulneráveis.
  6. Urgente para nossas crianças e jovens e vital para seu bem-estar. Eles correm maior risco nas ruas onde vivem, brincam e vão para a escola. Todos os dias, 3.000 crianças e jovens morrem ou ficam gravemente feridos nas estradas do mundo. Uma criança atropelada por um carro a 30 km / h (20 mph) pode sobreviver. Atingido a 80 km / h (50 mph), a maioria morrerá. A velocidade mata.

A Declaração de Estocolmo de 2020, adotada por governos em todo o mundo, apela a um enfoque em ruas habitáveis ​​e, de acordo com as evidências disponíveis, uma velocidade máxima de viagem nas estradas de 30 km / h, onde os usuários vulneráveis ​​das estradas e os veículos se misturam. O compromisso com essa abordagem deve estar na vanguarda da nova Década de Ação pela Segurança no Trânsito para atingir as Metas Globais.

Nosso presidente infelizmente pensa diferente e cria leis que vão na contramão do que se faz no Mundo. Afrouxa medidas restritivas, abranda penalidades aos infratores das normas de trânsito e diminui as medidas de prevenção e de segurança. Nós enquanto sociedade precisamos pensar coletivamente e reagir pensando em nossas crianças, em nossos idosos e em todos nossos cidadãos e pedir leis e regras mais restritivas em relação à velocidade, ao uso de cadeirinha e à pontuação para penalizar os infratores.

Agora é a hora de cumprir urgentemente esse chamado à ação, reduzindo, projetando e reforçando velocidades de tráfego que sejam seguras para todos, em qualquer lugar, priorizando as ruas de baixa velocidade em todas as áreas residenciais e próximas às escolas.

Ruas para a saúde. Ruas para o clima. Ruas para pessoas. Devemos agir juntos para criar #StreetsForLife; #ruasparavida

Saiba mais:

 

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade