PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Uma praça para as crianças ocuparem
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Uma praça para as crianças ocuparem

Uma praça para as crianças ocuparem

11/10/2022
  495   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

No dia 25 de setembro, o Parque Buenos Aires comemorou 109 anos e a Fundação José Luiz Egydio Setúbal (FJLES) estava lá como convidada, inaugurando a sua parceria com a Prefeitura do Município de São Paulo (PMSP) para a manutenção do parquinho frequentado pelas crianças da região.

A parceria foi firmada no mês de julho com a Associação dos Amigos do Parque Buenos Aires pelo período de três anos e já passou a ser executada pela empresa de arquitetura Erê Lab.

Há muitos anos escrevo sobre a importância de as crianças frequentarem espaços ao ar livre, fazerem atividades físicas e ficarem algum tempo desconectadas e longe das telas. O Parque Buenos Aires é um dos mais bonitos de São Paulo. Ele fica na região de Higienópolis e conta com cópias de esculturas de artistas franceses espalhadas por suas alamedas.

Além do parquinho, que está sempre cheio – já que a região é circundada por muitos prédios e é essencialmente residencial, ele também tem uma área para cachorros e outra com equipamentos para quem quer fazer ginástica. Mas o mais bonito é ver a comunidade local frequentando essa área verde que ocupa todo o quarteirão. Tem o horário dos idosos que se encontram em cadeiras na região mais alta da praça, tem o horário que os atletas fazem suas corridas e exercícios e também tem o horário das crianças com suas mães ou pais e, muitas vezes, com babás.

O Parque Buenos Aires fica a 200 metros do Sabará Hospital Infantil e, quando fomos procurados para ajudar a fazer a manutenção do parquinho, aceitamos imediatamente, já que entre nossos projetos de ajuda comunitária está o programa “Boa Praça”, onde nossa Fundação se compromete a recuperar parquinhos em praças da cidade de São Paulo.

Tudo começou em um projeto comunitário de voluntariado no Jardim Lapena, em São Miguel Paulista, quando recuperamos duas praças em conjunto com a comunidade local e em parceria com a Fundação Tide Setúbal, que atua no local. No ano seguinte, fizemos em parceria com a PMSP a recuperação da Praça Villaboim juntamente com o Shopping Higienópolis. Depois disso, foram mais três praças: uma na Vila Buarque, outra no Paraíso e outra na Vila Madalena. Nesse ano será uma na zona sul da cidade.

É uma pena que temos dificuldade para encontrar praças e recuperar os parquinhos, pois o processo não fica só na recuperação, temos que envolver a população do entorno para ajudar na manutenção e na preservação do projeto. Muitas vezes é muito difícil essa participação, e o envolvimento das subprefeituras e as relações políticas nem sempre é fácil. Ainda estamos muito longe de viver em uma sociedade participativa e que sabe viver comunitariamente.

Eu moro em São Paulo e, atualmente, a capital paulista possui 530 praças públicas ou áreas ajardinadas que estão sob os cuidados da iniciativa privada. O número representa apenas 10% do total de mais de 5 mil áreas verdes disponíveis na cidade que podem ser adotadas, segundo dados fornecidos pela PMSP. É muito pouco para uma cidade com mais de dez milhões de habitantes. Existem também os parques, que são áreas maiores e cercadas. No total, a cidade conta com 113 parques. São 106 áreas verdes mantidas pela Prefeitura – como o Ibirapuera, os da Aclimação e da Independência – e sete sob jurisdição do governo do Estado – como o Villa-Lobos, o da Água Branca e o Horto Florestal.

Vivemos em um momento em que se discutem mudanças climáticas, sustentabilidade e outras questões ambientais. Nesse sentido, será importante para as nossas crianças crescerem em ambientes mais saudáveis, com mais verde e com mais natureza.

Vamos pensar sobre isso e exigir dos nossos vereadores e dos nossos prefeitos cidades mais seguras, com espaços onde os jovens possam, andar de skate, patins, bicicletas ou jogar bola sem ter medo de roubos, assaltos ou conviver com drogas. Não apenas em Higienópolis, mas principalmente nas áreas periféricas, onde realmente existe uma carência enorme de áreas verdes.

Saiba mais:

https://institutopensi.org.br/de-um-pouco-de-natureza-para-suas-criancas/

https://institutopensi.org.br/por-uma-praca-inclusiva/

https://institutopensi.org.br/programa-boa-praca/

https://institutopensi.org.br/blog-saude-infantil/um-presente-para-a-cidade-de-sao-paulo/

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.