PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Visite o pediatra: o primeiro ano do bebê
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Visite o pediatra: o primeiro ano do bebê

Visite o pediatra: o primeiro ano do bebê

22/11/2011
  4574   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Por que meu bebê precisa ir ao pediatra com tanta frequência?

Você provavelmente vai ver mais o pediatra no primeiro ano do seu bebê do que em qualquer outro momento.

O primeiro exame do bebê será imediatamente após o nascimento, ainda na sala de parto e no berçário, nos dias em que ele ficar no hospital. Após a alta, os pais serão orientados sobre quando devem levar a criança para a primeira consulta, geralmente entre 7 e 14 dias, dependendo das condições em que ela nasceu.

Recomenda-se que ambos os pais participem destas visitas ao médico. Estas consultas darão a vocês e ao seu pediatra a chance de conhecer uns aos outros e trocar perguntas e respostas.

Em geral, no primeiro ano de vida, os pediatras avaliam as crianças a cada mês no primeiro semestre e a cada 45 ou 60 dias no segundo semestre. Além do exame físico do bebê, o médico irá avaliar as vacinas, o crescimento e o desenvolvimento, dar orientações sobre a dieta e outras questões relacionadas com o mundo da saúde infantil.

O profissional não se restringe às questões médicas

Seu pediatra também é um especialista em questões de cuidados gerais da criança e isto pode ser um recurso valioso se você procura apoio. Muitos médicos distribuem folhetos informativos que contêm as preocupações mais comuns, mas é uma boa ideia fazer uma lista de perguntas antes de cada visita, para não esquecer os assuntos mais importantes.

Se apenas um dos pais puder participar, tente conseguir um amigo, babá ou um parente para acompanhar, pois é mais fácil se concentrar em suas conversas com o médico se você tiver um pouco de ajuda para despir e vestir o bebê e reunir todas as suas coisas. Enquanto se acostuma a sair de casa com seu recém-nascido, um adulto também pode ajudar a carregar a sacola da criança. A finalidade destas consultas é certificar-se de que seu filho está crescendo e se desenvolvendo de forma adequada e não tem anomalias graves. Especificamente, o médico irá verificar as seguintes áreas:

  1. Crescimento – você será orientado a despir seu bebê e então ele vai ser pesado em uma balança infantil. O comprimento dele pode ser medido quando ele estiver deitado com as pernas esticadas, sobre uma mesa plana. Uma régua especial é usada para medir a extensão e o tamanho da cabeça da criança. Todas essas medidas devem ser colocadas em um gráfico, a fim de determinar sua curva de crescimento até a próxima visita. Esta é a maneira mais confiável para julgar se ele cresce normalmente e irá mostrar-lhe sua posição no desenvolvimento em relação a outros bebês da mesma idade;

  2. Cabeça – as moleiras ou fontanelas são os espaços macios que separam os ossos do crânio e se fecham ao longo dos meses. Elas devem estar fechadas antes do segundo aniversário do seu filho (cerca de 18 meses de idade);

  3. Ouvidos – O médico irá olhar dentro de ambas as orelhas com um otoscópio, um instrumento que fornece uma visão do canal auditivo e tímpano. Isto lhe diz se há qualquer evidência de fluidos ou infecção no ouvido. Será perguntado a você se a criança responde normalmente aos sons. O teste de triagem de audição formal é feito no berçário em recém-nascidos e, posteriormente, se houver suspeita de que existe um problema;

  4. Olhos – O médico irá usar um objeto brilhante ou lanterna para chamar a atenção do seu bebê e acompanhar os movimentos dos olhos. Ele também pode ver dentro dos olhos da criança com um instrumento chamado oftalmoscópio iluminado, que é a repetição do exame ocular interno feito no berçário do hospital. A verificação é útil na detecção de catarata (opacificação da lente do olho);

  5. Boca – Ela será visualizada para verificação de sinais de infecção como “sapinho” e, mais tarde, para a primeira dentição (dentes de leite);

  6. Coração e pulmões – O pediatra irá usar o aparelho estetoscópio na parte da frente do tórax e nas costas para ouvir o coração e os pulmões do seu filho. Este exame determina se existem ritmos cardíacos anormais, sons ou dificuldades respiratórias;

  7. Abdômen – Ao colocar a mão sobre o abdômen da criança e ao pressioná-lo suavemente, o médico garante que nenhum dos órgãos estejam aumentados e verifica se não há massas anômalas (irregulares);

  8. Genitália – ela é examinada em cada visita, procuram-se alguns gânglios, sensibilidade ou sinais de infecção. No primeiro exame é verificado se existe algum problema nos meninos. Os pediatras observam também todo órgão genital dos garotos e das garotas;

  9. Quadris e pernas – O médico irá mover as pernas do seu bebê para verificar se há problemas com as articulações do quadril. Os movimentos que seu pediatra irá realizar são para detecção de luxação (deslocamento dos ossos de uma articulação) ou displasia (desenvolvimento irregular dos órgãos). O diagnóstico precoce pode levar ao encaminhamento adequado e correção. Mais tarde, depois que a criança começa a andar, o profissional irá vê-la dar alguns passos para ter certeza de que as pernas e pés estão devidamente alinhados e se movem normalmente;

  10. Desenvolvimento – O pediatra também irá perguntar sobre o desenvolvimento geral do bebê. Entre outras coisas, ele vai observar e discutir quando a criança começou a sorrir, rolar, sentar, andar e como ela usa as mãos e braços. Durante o exame, o médico irá testar reflexos e tônus muscular.

Leia também: A importância de visitar o pediatra antes do nascimento do bebê

Fonte: Cuidando de seu bebê e de crianças pequenas: do nascimento até a os 5 anos (Copyright © 2009 American Academy of Pediatrics)

Atualizado em 8 de fevereiro de 2024

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

(CRM-SP 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, com especialização na Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduação em Gestão na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás, David e Benjamim.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • iana disse:

    quero um pediatra

  • Lucia de Fatima Canhamero Mena disse:

    tenho uma neta de 1 ano e 9 meses ela tem um sono muito agitado, acorda chorando começa a tossir e vomita isso é toda a noite, fizemos varias coisas e nada da resultado, no colo ela dorme sem problemas mais quando coloca na cama dorme uns 10 minutos e começa a chorar e tossir, por favor alguem me ajude, obrigada

  • lucimar disse:

    Boa tarde, estou com dúvidas, tenho uma filha linda, Sara, de 10 meses, ela ainda não engatinha, só para traz, no andador quando coloco muito pouco também só anda para traz, existe uma regra de quantos meses as crianças já tem que engatinhar?Ou não cada criança tem seu tempo?
    Ela fica em um hotelzinho, quando eu a pego a noite por volta das 18:00hs, coloco ela no chão, um pouco no andador, para incentivar mas o tempo é curto,porque logo ela quer banho e cama, dorme cedo. Será que estou fazendo certo, ou alguma coisa errada??

    att…

  • lucimar disse:

    Estou com dúvida, tenho uma filha de 10 meses, ela para eu trabalhar está ficando em um hotelzinho, porem desde que coloquei ela lá,está gripando muito claro são varias crianças,agora tenho uma oportunidade de deixar ela com uma babá que conheço é claro, seria melhor opção para não gripar tanto assim?? ou também é este tempo de frio que piora tudo??

    att…

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.