PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
A amamentação sob a perspectiva do fonoaudiólogo
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
A amamentação sob a perspectiva do fonoaudiólogo

A amamentação sob a perspectiva do fonoaudiólogo

23/08/2018
  1959   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Dentre as experiências vivenciadas pelo bebê, a amamentação merece destaque. No dia 01 de agosto comemoramos o Dia Mundial do Aleitamento Materno e essa semana é dedicada a ele: Semana Mundial de Aleitamento Materno.

Equipe de Fonoaudiologia do HIS

Há uma quantidade significativa de pesquisas que reforçam a importância da amamentação. O aleitamento materno traz benefícios nutricionais, imunológicos, emocionais, econômicos e sociais que já são amplamente divulgados.

Existem diversas organizações capacitadas para solucionar dúvidas, esclarecer e dar o suporte necessário para que esse momento, tão importante no desenvolvimento infantil e no relacionamento mãe e filho, seja o mais seguro e feliz!

O aleitamento materno também tem efeitos positivos do ponto de vista da saúde fonoaudiológica, uma vez que está relacionado ao crescimento e desenvolvimento craniofacial e motor-oral do recém-nascido, sendo sua presença, fator importante de prevenção.  

Ao sugar o seio materno a criança estabelece o padrão adequado de respiração nasal e postura correta da língua. A sucção durante a amamentação, promove o desenvolvimento adequado dos órgãos fonoarticulatórios quanto à mobilidade, tônus, força, postura e consequentemente o desenvolvimento das demais funções como a mastigação, deglutição e articulação dos sons da fala. Contribui para a redução da presença de maus hábitos orais e de posturas inadequadas dos órgãos fonoarticulatórios.

O desenvolvimento motor-oral reflete no desenvolvimento craniofacial, no crescimento ósseo e na dentição. Essas forças musculares promovem uma ação modeladora, mas que em condições inadequadas, podem conduzir a alterações anatômico-funcionais indesejáveis.

Somente a amamentação ou a sucção no peito materno promove a atividade muscular correta. Crianças amamentadas no peito tem menores chances de adquirir hábitos de sucção não nutritivos, comumente observados em crianças que não receberam aleitamento materno, ou o fazem por tempo menor. O desmame precoce pode levar a uma ruptura do desenvolvimento motor-oral adequado.

A Organização Mundial de Saúde (OMS), o Ministério da Saúde (MS) e a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) recomendam a amamentação exclusiva até o sexto mês de vida e complementada até dois anos ou mais, permitindo a adequada transição alimentar, de modo que a criança tenha condições de receber os alimentos certos na idade adequada, garantindo o seu pleno desenvolvimento

A prática bem-sucedida do aleitamento materno depende, em grande parte, do apoio e das orientações recebidas pelas mães ao longo da gestação, nos primeiros momentos do nascimento e na alta hospitalar.

A técnica de amamentar deve ser ensinada e, para isso, o primeiro passo é a observação cuidadosa da mamada para que se possam ser feitos os ajustes e orientações necessárias para garantir o seu sucesso e sua permanência.

Todos os profissionais envolvidos com a saúde da díade mãe-bebê são agentes responsáveis pela promoção, incentivo e apoio ao aleitamento materno. 

Confira mais posts no blog no Hospital Infantil Sabará:

Comunicação PENSI

Comunicação PENSI

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade