PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Anafilaxia ou emergência alérgica
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Anafilaxia ou emergência alérgica

Anafilaxia ou emergência alérgica

08/03/2017
  657   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Anafilaxia é uma reação de hipersensibilidade aguda potencialmente fatal, que inclui sintomas e sinais, isolados ou combinados, que ocorrem em minutos ou em até poucas horas da exposição ao agente causal. Pode ser de intensidade leve, moderada ou grave. Na maioria dos casos a anafilaxia é de intensidade leve, mas tem o potencial de evoluir para fatalidade. A evolução é usualmente rápida, atingindo pico entre 5 e 30 minutos, raramente pode perdurar por vários dias.(definição da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia – ASBAI).

Quadros alérgicos são de grande frequência no setor de pronto atendimento e emergência do Sabará Hospital Infantil. O atendimento é feito por médicos pediatras que seguem os protocolos feitos pelo nosso grupo de Alergia e Imunologia, baseados no que há de mais atual em condutas baseadas em evidências.

Reafirmando a importância da epinefrina no tratamento de primeiros socorros para anafilaxia a Academia Americana de Pediatria (AAP) publicou um novo plano de ação escrito para ajudar os pacientes, famílias, escolas e comunidades de como responder a reações alérgicas com risco de vida.

O plano é apresentado no relatório clínico da AAP, ” Orientação sobre como completar um plano de emergência de alergia e anafilaxia “, publicado em março de 2017 na revista Pediatrics. Planos de emergência são recomendados para melhorar os resultados de reações alérgicas graves, que podem incluir aperto na garganta, dificuldade em respirar, sibilos e perda de consciência.

Vários protocolos médicos estão atualmente em uso e diferem em formato e recomendações, potencialmente levando a confusão na sua utilização. O novo plano AAP é personalizável e o relatório fornece orientação para seu uso.

Acompanhando o artigo é um segundo relatório clínico da AAP, a epinefrina é o tratamento de primeira linha para a anafilaxia, e não medicamentos como anti-histamínicos, que são utilizados em reações alérgicas ais comuns e menos graves.

De acordo com a AAP, mais educação sobre o uso rápido de epinefrina é necessária para os médicos, particularmente para uso em adolescentes que enfrentam taxas mais altas de mortes por anafilaxia (provavelmente porque eles mais frequentemente se envolvem em comportamentos de risco.

 

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Pediatrics – February 2017

From the American Academy of Pediatrics

Clinical Report: Guidance on Completing a Written Allergy and Anaphylaxis Emergency Plan

Julie Wang, Scott H. Sicherer, SECTION ON ALLERGY AND IMMUNOLOGY


As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade