PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Atendimento de saúde mental nas emergências pediátricas
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Atendimento de saúde mental nas emergências pediátricas

Atendimento de saúde mental nas emergências pediátricas

02/11/2016
  642   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

As emergências pediátricas raramente contam com suporte de profissionais preparados para o atendimento de pacientes com problemas de saúde mental. Felizmente é uma ocorrência rara, mas não incomum. No Sabará Hospital Infantil atendemos mais de 110 mil crianças na pronto-socorro e poucos destes casos estão relacionados com saúde mental, mas existem tentativas de suicídio, uso de drogas, anorexia, depressão, entre outros diagnósticos. Felizmente contamos com um time de pessoas preparadas para isto com o suporte de uma psicologia hospitalar eficiente.

 

A Academia Americana de Pediatria (AAP) produziu um material que orienta os pediatras e serviços de Emergência de como lidar com estes casos.

 

Dois novos relatórios clínicos da AAP oferecem conselhos para os clínicos na gestão de emergências de saúde mental pediátricos. Eles estão divididos da seguinte forma:

 

Parte I: Desafios clínicos comuns de pacientes com saúde mental e / ou Emergências Comportamentais” e “Avaliação e Gestão das Crianças com a saúde mental aguda ou problemas comportamentais”.

 

Parte II: “Reconhecimento de Clinicamente Desafiando saúde mental condições relacionadas apresentando clínicas ou sintomas incertos”,

 

Na Parte um, os relatórios enfatizam a importância de garantir que os pacientes estejam clinicamente estáveis. Analisa também quando se deve realizar testes de diagnóstico, tais como toxicologia, gravidez e testes de infecção sexualmente transmissível. O relatório oferece orientação sobre avaliação de pacientes pediátricos para o risco de suicídio e gestão de pacientes que tentaram suicídio, incluindo a gestão ambulatorial, internação e cuidados coordenação com o cuidado médico em casa.

 

Parte dois discute a avaliação das doenças somáticas, incluindo comunicação com o paciente e a família. Ele também aborda os efeitos adversos de medicamentos psiquiátricos, bem como recomendações na gestão de crianças com necessidades especiais, incluindo autismo e transtornos do desenvolvimento e desafia suas condições de trazer em situações de crise.

 

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Pediatrics September 2016, VOLUME 138 / ISSUE 3

From the American Academy of Pediatrics

Evaluation and Management of Children With Acute Mental Health or Behavioral Problems. Part II: Recognition of Clinically Challenging Mental Health Related Conditions Presenting With Medical or Uncertain Symptoms

 

Thomas H. Chun, Sharon E. Mace, Emily R. Katz, AMERICAN ACADEMY OF PEDIATRICS Committee on Pediatric Emergency Medicine, AMERICAN COLLEGE OF EMERGENCY PHYSICIANS Pediatric Emergency Medicine Committee

 

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade