PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Chupeta: questões práticas
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Chupeta: questões práticas

Chupeta: questões práticas

04/07/2011
  1574   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

As chupetas são uma das maiores fontes de controvérsias na infância. Começando pelos defensores da amamentação, passando pelos fonoaudiólogos e odontólogos, sempre haverá os que abominam e os que defendem, mas como os pais devem proceder à frente a estas controvérsias?


Além do fato que a chupeta parece ser uma importante arma contra a Síndrome da Morte Súbita da Infância, existe outras razões para defender seu uso. A chupeta acalma e pode ser uma ajuda valiosa aos pais que têm bebês agitados ou “nervosos”, além de bebês que querem sugar o tempo todo. Nestes casos, os pais devem cuidar para que o bebê não se torne dependente das chupetas.

Basta ter muito cuidado para oferecer chupeta a um recém-nascido nos momentos em que ele realmente precisa, e não quando ele deve ser alimentado, ou quando precisam de conforto dos pais. Elas devem ser usadas para acalmar os bebes que choram muito, para ajudar a embalar o sono, mas cuidados com as birras e manhas.

Escolhendo a chupeta perfeita. Nos dias de hoje, escolher a chupeta perfeita pode parecer uma tarefa difícil, tendo em conta todas as várias marcas e cores  existentes no mercado. Não notamos nenhuma  correlação entre o preço ou estratégia de marketing e a eficácia, por isso, simplesmente recomendo tentar uma que seu bebê goste.Chupetas de silicone e ortodônticas devem ser preferidas às de látex e não ortodônticas.

Como oferecer uma chupeta ao seu bebê:

Tente roçar leve apenas para o lado da boca e em seguida, delicadamente, segurando a chupeta na boca por um momento, ele começa a sugar a mantê-lo de avançar de volta para fora. Deve sempre evitar o uso de substâncias adoçadas como mel, leite condensado, etc.

Substitutos para  chupeta:

O mais fácil, e sempre presente é a mão e os dedos, pois as crianças logo descobrem as mãos e as levam para a boca, deve sempre ter cuidado com as unhas  crescidas e com as mãos sujas de uma criança maior,  melhor certificar-se de que os dedos estejam limpos e ter cortado as unhas também! Fraldinhas ou paninhos também podem vir a ser usados como substitutos das chupetas por alguns bebês, assim como, brinquedos macios ou de plásticos

Muitas crianças usarão alguma forma de sucção para se acalmar e se confortar, seja o peito materno, seja o polegar ou algum dedo, seja a chupeta, mamadeira, paninho, etc., o mais importante é que qualquer que seja o modo escolhido pelo bebê, ele não seja usado em demasia, pois cria-se o hábito e que a partir dos dois anos seja desestimulado, para que aos três anos não use mais nenhum destes modos, com o risco de alterar a mordida ou desenvolvimento do maxilar e da mandíbula.

Autor : José Luiz Setúbal
Fonte : Heading Home (Copyright © 2010 Academia Americana de Pediatria)

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • leila disse:

    já fiz tratamento con fonodiologa mas meu filho não teve melhoras o que eu faço ele não consegue falar direito..
    troca as eltras

  • Bruna Marugan disse:

    Então, eu usei por bastante tempo aquelas chupetas AVENT, e confesso que foi dificil tirar dele, mas com muito esforço e seguindo as dicas do blog eu consegui.

    Agradeço bastante e parabenizo pela iniciativa do post!!

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade