PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Comportamento de crianças e alterações do sono
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Comportamento de crianças e alterações do sono

Comportamento de crianças e alterações do sono

10/04/2012
  588   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Pesquisa mostra que problemas respiratórios durante a noite podem influenciar na maneira de agir dos pequenos

Com o passar dos anos, as crianças que roncam ou que têm outros problemas respiratórios relacionados ao sono são as mais propensas a terem problemas de comportamento. Os dados são do estudo de base populacional realizado nos Estados Unidos e publicado pela revista Pediatrics, na edição de abril de 2012.

O estudo: “Sleep-Disordered Breathing in a Population-Based Cohort: Behavioral Outcomes at 4 and 7 Years”, publicado online em 5 de março, questionou os pais, que viviam na Inglaterra, sobre como era a respiração bucal e ronco dos filhos, observação de apneia (suspensão temporária da respiração) e o comportamento da criança. O estudo foi feito em pequenos que tinham no mínimo 6 meses de vida e eles eram acompanhados periodicamente até os 7 anos de idade.

Aos 4 anos, a porcentagem de crianças com distúrbios respiratórios do sono era de 20% e a chance de terem dificuldades de comportamento era de 60%. Com 7, elas tinham 40% de alterações de sono e era 100% mais provável que os pequenos tivessem alterações na maneira de agir. Os piores sintomas foram associados com resultados comportamentais mais negativos.

Os autores do estudo concluíram que os distúrbios respiratórios do sono, no início da vida, têm fortes efeitos sobre o comportamento no decorrer da infância. Possivelmente isso acontece, porque durante este período de desenvolvimento cerebral, há maior vulnerabilidade e existe a necessidade de se dormir mais. Os resultados sugerem que esses sintomas podem exigir atenção, logo no primeiro ano de vida.

Por José Luiz Setúbal

Fonte: “Sleep-Disordered Breathing in a Population-Based Cohort: Behavioral Outcomes at 4 and 7 Years,” Pediatrics published online March

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • Maria disse:

    Comportamento de crianças e alterações do sono.

  • Bruna disse:

    Minha filha normalmente dorme bem mas como sou divorciada ela passa 10 hs com o pai dela a cada 15 dias e quando ela volta durante a noite ela chora a noite inteira quando eu consigo fazer ela dormir nao demora muito ela senta na cama e chora com gritos altos .
    O que poderia ser ?
    minha filha tem 1 ano e 4 meses
    e ainda nao fala muito bem…

    • Equipe Sabará disse:

      Oi Bruna. Certamente sua filha não deve entender a separação, nesta idade é muito dificil e ela deve sentir falta do pai, afinal ela vê ele poucas vezes. Talvez você possa apenas respeitar os sentimentos dela e não tentar forçar ela dormir ou entender uma situação destas, pois ela é muito pequena. Tratá-la com respeito e carinho, falar que você entende o que ela sente saudades do pai pode ajudar. Muito obrigado. =]

  • juliana disse:

    MINHA FILHA TEM 4ANOS E A UMA SEMANA TIREI A FRALDA NOTURNO, DESSE DE ENTAO ACORDA AS 3H DA MANHA E NAO DORME MAIS. ELA JA ESTA NA ESCOLA E FICA COM ORELHAS PELA FALTA DO SONO. E DESDE UM ANO NAO DORME A TARDE. NAO SABEMOS O QUE FAZER. NOS AJUDE. OBRIGADA

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Juliana, tudo bem? Obrigado pela confiança. A retirada das fraldas é um momento importante na vida das crianças e isso pode estar afetando o sono da sua filha. Procure conversar com ela e entender se há relação entre os dois. De qualquer forma, é importante você também ficar de olho na rotina dela antes do sono e notar a interferência negativa da televisão. Escrevemos um artigo sobre isso e você pode conferir aqui: http://goo.gl/k9aRb4. Abraços! 🙂

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade