PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Comportamento de crianças e alterações do sono
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Comportamento de crianças e alterações do sono

Comportamento de crianças e alterações do sono

10/04/2012
  3472   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Com o passar dos anos, as crianças que roncam ou que têm outros problemas respiratórios relacionados ao sono são as mais propensas a ter problemas de comportamento. Os dados são do estudo de base populacional realizado nos Estados Unidos e publicado pela revista Pediatrics na edição de abril de 2012.

O estudo: “Sleep-Disordered Breathing in a Population-Based Cohort: Behavioral Outcomes at 4 and 7 Years”, publicado online em 5 de março, questionou os pais, que viviam na Inglaterra, sobre como era a respiração bucal e ronco dos filhos, observação de apneia (suspensão temporária da respiração) e o comportamento da criança. O estudo foi feito em pequenos que tinham no mínimo 6 meses de vida e eles eram acompanhados periodicamente até os 7 anos de idade.

Aos 4 anos, a porcentagem de crianças com distúrbios respiratórios do sono era de 20% e a chance de terem dificuldades de comportamento era de 60%. Com 7, elas tinham 40% de alterações de sono e era 100% mais provável que os pequenos tivessem alterações na maneira de agir. Os piores sintomas foram associados com resultados comportamentais mais negativos.

Leia também: Distúrbios do sono em crianças: como os pais podem ajudar?

Os autores do estudo concluíram que os distúrbios respiratórios do sono no início da vida têm fortes efeitos sobre o comportamento no decorrer da infância. Possivelmente isso acontece porque durante este período de desenvolvimento cerebral há maior vulnerabilidade e existe a necessidade de se dormir mais. Os resultados sugerem que esses sintomas podem exigir atenção logo no primeiro ano de vida.

Fonte: “Sleep-Disordered Breathing in a Population-Based Cohort: Behavioral Outcomes at 4 and 7 Years,” Pediatrics published online March

Atualizado em 6 de março de 2024

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

(CRM-SP 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, com especialização na Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduação em Gestão na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás, David e Benjamim.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • Maria disse:

    Comportamento de crianças e alterações do sono.

  • Bruna disse:

    Minha filha normalmente dorme bem mas como sou divorciada ela passa 10 hs com o pai dela a cada 15 dias e quando ela volta durante a noite ela chora a noite inteira quando eu consigo fazer ela dormir nao demora muito ela senta na cama e chora com gritos altos .
    O que poderia ser ?
    minha filha tem 1 ano e 4 meses
    e ainda nao fala muito bem…

    • Equipe Sabará disse:

      Oi Bruna. Certamente sua filha não deve entender a separação, nesta idade é muito dificil e ela deve sentir falta do pai, afinal ela vê ele poucas vezes. Talvez você possa apenas respeitar os sentimentos dela e não tentar forçar ela dormir ou entender uma situação destas, pois ela é muito pequena. Tratá-la com respeito e carinho, falar que você entende o que ela sente saudades do pai pode ajudar. Muito obrigado. =]

  • juliana disse:

    MINHA FILHA TEM 4ANOS E A UMA SEMANA TIREI A FRALDA NOTURNO, DESSE DE ENTAO ACORDA AS 3H DA MANHA E NAO DORME MAIS. ELA JA ESTA NA ESCOLA E FICA COM ORELHAS PELA FALTA DO SONO. E DESDE UM ANO NAO DORME A TARDE. NAO SABEMOS O QUE FAZER. NOS AJUDE. OBRIGADA

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Juliana, tudo bem? Obrigado pela confiança. A retirada das fraldas é um momento importante na vida das crianças e isso pode estar afetando o sono da sua filha. Procure conversar com ela e entender se há relação entre os dois. De qualquer forma, é importante você também ficar de olho na rotina dela antes do sono e notar a interferência negativa da televisão. Escrevemos um artigo sobre isso e você pode conferir aqui: http://goo.gl/k9aRb4. Abraços! 🙂

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.