PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Fumo passivo e seus efeitos nos pequenos
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Fumo passivo e seus efeitos nos pequenos

Fumo passivo e seus efeitos nos pequenos

14/03/2012
  813   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

A fumaça do cigarro pode trazer problemas de saúde às crianças, tais como asma e infecções respiratórias

Todos sabemos os malefícios que o cigarro faz para quem fuma e para aquele que frequenta ambientes onde se permite esta prática.

O fumo passivo é um dos perigos mais comuns e prejudiciais para as crianças. Segundo o último relatório (de 2006), Surgeon General, quase 60% dos pequenos de 3 a 11 anos estão expostos à fumaça do cigarro.

Essas crianças têm um risco maior para múltiplos efeitos graves para a saúde:

1- Asma;
2- Infecções respiratórias e de ouvido médio (otite);
3- Capacidade pulmonar diminuída;
4- Menor tolerância ao exercício;
5- Síndrome da morte súbita infantil.

Pais ou cuidadores fumantes em casa ou nos ambientes que a criança frequenta (carros, salas de brinquedos dos edifícios, etc.) é a principal fonte de exposição para pré-escolares.

Este contato é mais perigoso para os mais jovens, já que os seus pulmões ainda são imaturos e eles passam mais tempo em estreita proximidade com os pais. As pessoas que fumam têm uma chance maior de ter despesas médicas, além do que, seus filhos podem se tornar futuros fumantes.

Outros efeitos podem incluir câncer infantil, leucemia, linfomas e tumores cerebrais na infância.

Por todas estas razões, você deve deixar suas crianças longe da fumaça do cigarro.

Por Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Surgeon General Reports (2006) – “How Tobacco Smoke Causes Disease the Biology and Behavioral Basis for Smoking-Attributable Disease”

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • roberta disse:

    Olha so…….q perigo

  • ana disse:

    perigo mesmo

  • Meire Dias disse:

    Olá boa tarde!
    Gostaria de tirar uma duvida! Meu pai é fumante desde os 18 anos, hoje ele esta com 62 anos, ou seja 44 anos fumando.Ele não fuma dentro de casa, porém da distancia que ele fuma , que é na garagem ou varanda, sentimos o odor da fumaça do cigarro, porém ele insiste em dizer que estamos criando caso com o “cigarrinho” dele. E quando ele entra em casa esta com
    cheiro forte nas mãos, corpo e roupa, quando falamos ele ainda acha ruim. Enfim minha duvida, tenho um bebe de 1 ano e 2 meses gostaria de saber se esse odor que fica nas mãos, corpo e roupa podem prejudicar meu filho?
    Desculpa a historia completa, mas precisava explicar.
    Agradeço antecipadamente pela atenção prestada!
    Fiquem com Deus!!!

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Meire, tudo bem? Obrigado pela confiança! É importante que você tente manter o máximo de distância entre o fumante e o seu bebê. Como você leu em nosso artigo, este contato é mais perigoso para os mais jovens, já que os seus pulmões ainda são imaturos. Abraços! 🙂

  • Pollyanna disse:

    Oi!Minha filha tem 3 anos e o cabelo dela é cacheado para crespo e a frente tem caido muito. Não sei o que fazer.

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade