PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
O estudo “Raça, Fatores de Risco Pré-operatórios e Morte Após a Cirurgia”
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
O estudo “Raça, Fatores de Risco Pré-operatórios e Morte Após a Cirurgia”

O estudo “Raça, Fatores de Risco Pré-operatórios e Morte Após a Cirurgia”

01/02/2018
  627   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Como já mencionei anteriormente, o mundo científico atualmente, graças à grande capacidade de análise dos computadores, produz uma quantidade enorme de relações e de informações. Nem sempre elas são relevantes e muitas vezes são meras curiosidades.

O estudo “Raça, Fatores de Risco Pré-operatórios e Morte Após a Cirurgia”, que foi publicado na edição de fevereiro de 2018 da revista Pediatrics, mostra que as crianças negras têm mais de duas vezes mais chances de morrer após a cirurgia do que as crianças brancas. Certamente no Brasil precisaríamos nos preocupar com outras relações devido a nossa alta taxa de miscigenação.

O estudo examinou a mortalidade pós-operatória dentro de 30 dias da cirurgia em 260 mil procedimentos cirúrgicos realizados em crianças americanas de 2012 a 2015. Foram desenvolvidos modelos específicos de raça usando fatores de risco pré-operatórios para prever a mortalidade cirúrgica em 30 dias para crianças negras versus crianças brancas. Eles encontraram uma maior prevalência de fatores de risco para crianças negras, e isso inclui uso de ventilador, suporte de oxigênio, infecções de feridas, transfusões e estado neonatal.

Análises de dados revelaram que a prevalência de fatores de risco pré-operatórios associados à morte após a cirurgia foi significativamente maior para crianças afro-americanas do que para crianças brancas. Além disso, muitos dos fatores de risco associados à morte após a cirurgia apresentaram maior risco quando ocorreram em crianças afro-americanas.

Modelos específicos de raça preveem resultados após cirurgia com mais precisão em comparação com modelos não específicos de raça. A identificação de fatores de risco modificáveis ​​específicos da raça pode ajudar a reduzir as disparidades raciais no resultado cirúrgico. Apesar da simplicidade e do pouco aprofundamento, isso pode ser uma coisa a mais a se fazer para precauções pré-operatórias de crianças.

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Pediatrics January 2018

Race, Preoperative Risk Factors, and Death After Surgery

Oguz Akbilgic, Max Raymond Langham Jr, Robert Lowell Davis

 

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade