PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Partos na água não têm benefícios comprovados para a saúde
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Partos na água não têm benefícios comprovados para a saúde

Partos na água não têm benefícios comprovados para a saúde

26/06/2014
  482   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

parto-na-agua-000000000000027B

Vivemos num mundo de modismos. Já há alguns anos, vivemos a moda de partos diferentes, no domicílio, na água etc. Sei que esta postagem gerará críticas das pessoas mais entusiasmadas, mas nossa obrigação é levar opiniões médicas baseadas na ciência.

A Academia Americana de Pediatria (AAP) e o Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas (ACOG) lançará novas recomendações sobre trabalho de parto na água, publicadas na edição impressa de Pediatrics de abril de 2014.

Em um relatório clínico conjunto, tanto a AAP quanto a ACOG observou que a primeira etapa do trabalho de parto em uma piscina (especial para esta finalidade) pode oferecer algumas vantagens, tais como a diminuição da dor e trabalhos mais curtos. No entanto, a imersão em água durante a segunda fase (nascimento subaquático) tem benefício para a mãe ou o bebê não comprovada, e podem representar riscos graves e às vezes fatais de saúde.

A AAP e ACOG conclui que pode haver alguns benefícios da imersão em água para as mulheres saudáveis ​​com gravidez sem complicações durante os primeiros estágios do trabalho de parto, mas não há nenhuma evidência se esta prática melhora os resultados perinatais.

A segurança e eficácia de nascimento subaquático não foi estabelecida, e isto deve ser considerado como um procedimento experimental, que não devem ser realizados, a menos que no contexto de um ensaio clínico adequadamente concebido com o consentimento informado. A imersão durante o trabalho de parto não deve impedir ou inibir o equipamento necessário, tais como monitoramento materno ou fetal.

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Pediatrics Magazine april 2014

From the American Academy of Pediatrics

Clinical Report

“Immersion in Water During Labor and Delivery”

AMERICAN ACADEMY OF PEDIATRICS Committee on Fetus and Newborn, AMERICAN COLLEGE OF OBSTETRICIANS AND GYNECOLOGISTS Committee on Obstetric Practice

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade