PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Previna as picadas de abelhas
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Previna as picadas de abelhas

Previna as picadas de abelhas

08/02/2012
  317   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Alguns dos sintomas causados por esses insetos são dor de cabeça forte, vermelhidão na pele e coceira

Verão é tempo de atividades ao ar livre e um dos perigos destas atividades são as picadas de abelhas.

As abelhas são insetos da ordem Hymenoptera, assim como as vespas e as formigas. Algumas espécies são conhecidas por produzirem o mel e viverem em colônias ditas como uma organização hierárquica, com uma rainha fértil, alguns machos férteis (zangões) e milhares de operárias fêmeas (inférteis).

Elas possuem um ferrão na porção final do seu abdômen capaz de inocular veneno em suas vítimas. Uma vez picado, o aparato se separa do corpo da abelha, e o inseto morre logo em seguida. Nem todas as abelhas são capazes de injetar a peçonha.

As manifestações clínicas podem ser de naturezas tóxicas e alérgicas. As reações tóxicas locais decorrentes da picada de abelhas estão associadas à dor, edema (acúmulo anormal de líquido) e eritema (vermelhidão da pele).

Em casos de múltiplas picadas, podem ocorrer manifestações sistêmicas, devido à grande quantidade de veneno inoculado. Nessa situação, os sintomas são prudido (coceira), rubor, calor generalizado, pápulas (bolhas), placas urticariformes (vermelhidão), hipotensão, taquicardia, cefaleia (dor de cabeça forte), náuseas e/ou vômitos, cólicas abdominais e broncoespasmos (espasmos nos brônquios, que impedem a passagem do ar para os pulmões).

Em casos mais graves, pode ocorrer choque, insuficiência respiratória aguda, rabdomiólise (destruição muscular que libera componentes nas células) e insuficiência renal aguda.

Casos como estes são raros, mas precisam de prontidão e rapidez para serem atendidos, já que há risco de morte.

Não há soroterapia para o caso de acidentes por abelhas e o tratamento é sintomático.

O risco de acidente pode ser reduzido, seguindo-se recomendações simples. Tanto abelhas como marimbondos são atraídos por sons, odores e cores, portanto:

• Sons de motores (jardinagem, barcos) exercem extrema irritação em abelhas;
• Cores berrantes em geral, e odores exercem alta atração sobre esses animais.

As retiradas de colmeias devem ser feitas preferencialmente à noite ou ao entardecer (quando os insetos estão calmos), com roupa protetora e, principalmente, por profissional competente. Evite caminhar e correr na rota de voo percorrida pelas vespas e abelhas.

Por Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Ministério da Saúde do Brasil

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade