PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Cólicas do recém-nascido
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Cólicas do recém-nascido

Cólicas do recém-nascido

27/06/2011
  5081   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

O seu bebê (menor do que 100 dias) têm períodos de agitação regulares todos os dias e parece que você não pode fazer nada para confortá-lo? Isso é muito comum, especialmente entre a tarde e a meia-noite, justamente quando você também está se sentindo cansada. Podem ser cólicas.

Esse período de mau humor pode ser como uma tortura, especialmente se você tiver outras crianças ou trabalho a fazer, mas felizmente não dura por muito tempo. A permanência desta agitação dura cerca de três horas por dia por seis semanas e então declina para uma ou duas horas por dia até o 3º ou 4º meses, quando desaparece.

O que fazer?

Se o choro do bebê não para, mas se intensifica e persiste ao longo da tarde ou da noite, pode ser causado por cólicas do recém-nascido. Cerca de um quinto de todos os bebês desenvolvem cólicas, geralmente entre a segunda e quarta semanas de vida. Eles choram inconsolavelmente, muitas vezes gritando, agitando as pernas e braços. Seu estômago pode estar distendido com gases. O choro pode ocorrer a qualquer hora, embora frequentemente piore no início da noite.

Infelizmente, não há explicação definitiva sobre por que isso acontece. Na maioria das vezes, a cólica significa simplesmente que a criança é extraordinariamente sensível à estimulação ou também por ter  um sistema nervoso imaturo. Conforme ela amadurece, isso vai melhorar e, geralmente, para por volta dos três ou quatro meses, mas pode durar até seis meses de idade.

Leia também: Quem tem medo de cólica de neném?

Às vezes, nos bebês em aleitamento materno, as cólicas são sinal de sensibilidade a um alimento na dieta da mãe, especialmente à cafeína. O desconforto pode ser causado também pela sensibilidade à proteína do leite de vaca. Ou, ainda, a cólica pode sinalizar um problema médico, como uma hérnia ou algum tipo de doença, por isso converse com seu pediatra tentando explicar o melhor possível os sintomas.

Embora não se tenha muito o que fazer a não ser esperar pela melhora, existem várias coisas que valem a pena tentar: primeiro, é claro, consultar o seu pediatra para se certificar de que o choro não está relacionado a qualquer condição médica séria que necessita de tratamento. Em alguns casos, ele poderá receitar algum medicamento, ou indicar quais das seguintes medidas seriam mais úteis.

Se você está amamentando, pode tentar eliminar os produtos lácteos e a cafeína de sua própria dieta. Se está alimentando o bebê com fórmula, fale com seu pediatra sobre outras opções de fórmulas.

Se a sensibilidade aos alimentos está causando o desconforto, as cólicas devem diminuir dentro de alguns dias após estas mudanças. Não alimente seu bebê a todo o momento, o que pode ser desconfortável. Em geral, tente esperar pelo menos de 2 a 2 horas e meia do início de uma alimentação ao início da próxima.

Outra dica é fazer uma caminhada com seu bebê no colo ou no carrinho para acalmá-lo. O contato corporal e o movimento podem tranquilizá-lo, mesmo se o desconforto persistir. Balance um pouco ou cante suavemente, pois movimentos rítmicos constantes e um som calmante podem ajudá-lo a adormecer.

E a chupeta? Enquanto alguns bebês amamentados podem recusá-la, para outros a chupeta poderá fornecer alívio.

Outra técnica para acalmar o bebê é deitá-lo de barriga para baixo em seus joelhos e esfregar suas costas ou, de barriga para cima, fazer massagem em seu abdômen. A leve pressão em sua barriga pode ajudar a confortá-lo. Depois o enrole em um cobertorzinho para que se sinta seguro e aquecido.

Se você estiver se sentindo tensa e ansiosa, procure se afastar do bebê, mesmo por alguns momentos,  pois vai te ajudar a manter uma atitude positiva e menos irritada.

Fonte: Cuidando do seu bebê e da criança pequena: Birth to Age 5

(Copyright © 2009 Academia Americana de Pediatria)

Atualizado em 19 de janeiro de 2024

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

(CRM-SP 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, com especialização na Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduação em Gestão na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás, David e Benjamim.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • Ola Dutores tenho um bebe de 3 meses e nasceu com hidrocefalia 9SINDROME DE DANDY-WALKER) peço ajuda para entender melhor o problema .

    • Equipe Sabará disse:

      A Sindrome do Dandy Walker, é uma doença rara, tratando-se de uma má formação cerebral que envolve os ventrículos e o cerebelo, que é a parte do cérebro que esta relacionada com o equilíbrio. Muitas vezes é necessário tratamento cirúrgico para melhorar as condições, mas não tem cura, uma vez que se trata de um má formação genética. A pessoa com esta síndrome necessita de acompanhamento com pediatra geral, neurocirurgião, neuropediatra, fisioterapeuta, ou seja, de uma equipe multiprofissional. Aconselhamos a procurar um serviço especializado na sua região.
      Atenciosamente,
      Equipe do Hospital Infatil Sabará

  • Iara Santana disse:

    Gostaria de saber se somente a moleira baixa é um sintona de desidrataçao?

    • Equipe Sabará disse:

      A “moleira” baixa pode ter vários significados, entre eles a desidratação. Mas não é o sinal mais importante em uma desidratação, sinais e sintomas como:
      – boca seca
      – ausência de urina
      – pele sem elasticidade
      – olhos fundos
      – apatia
      – saliva grossa
      Desidratação não é uma doença e sim uma consequência de perda exagerada de líquidos, portanto para desidratar uma criança precisa ter diarréia e ou vômitos, ou estar exposta a um calor excessivo ou não estar ingerindo líquidos. Esperamos que esta resposta possa ter sido útil para responder sua dúvida!
      Atenciosamente
      Equipe Hospital Infatil Sabará

  • renata disse:

    minha filha e de 8m eata com começo de pneumunia ja esta sendo medicada e depois de um dia dada descoberta da pneumunia esta com a moleira muto baixa consultei o pediatra e disse esta tudo normal mas esta so baixandotem dois dias que esta assim o que pode ser?

  • Olá
    Boa Noite.

    Meu filho tem apenas 40 dias, não amamentou na mãe e sim por mamadeira, ele está tentdo cólica e a sua alimentação engloba mingal. Pergunto. Pode ser o mingal o sintomas da cólica.

  • Minha bebê tem 1 mes e 14dias eu gostaria de saber qts ml de leite ela deve tomar e se eu tenho que acorda-lá para amamenta-lá.Ela não pegou peito e so mama leite artificial.Obrigada!!!

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Cristiane, tudo bem? Obrigado pela confiança. Um bebê recém nascido mama de 7 a 8 vezes por dias, dependendo da quantidade de leite da mãe e do peso do bebê. Em nosso site você pode conferir informações sobre aleitamento materno em nosso site: http://goo.gl/DKM389. De qualquer forma, para dúvidas específicas, sugerimos que você consulte o seu pediatra. Abraços! 🙂

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.