PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
O esporte e a personalidade
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
O esporte e a personalidade

O esporte e a personalidade

23/05/2013
  6093   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

A personalidade é um termo utilizado na descrição das características e dos costumes comportamentais das pessoas. Referem-se às qualidades, propriedades, atributos ou traços pessoais que distinguem o atleta de outras pessoas. Ela é um produto de interação com o ambiente, especialmente com o ambiente social. A criança adquire controle emocional, independência, autoconfiança e coragem durante seu vigoroso contato social.

Tanto os pais como os amigos geram influências sobre o desenvolvimento físico e mental e sobre a personalidade da criança. Hereditariedade, tamanho físico, grau de maturidade, pressão adulta e grau de sucesso são influências diretas ou indiretas sobre a quantidade e direção do desenvolvimento da personalidade. Quando falamos de esportes, a posição e o prestígio social do atleta bem-sucedido também tende a desenvolver os traços de autoconfiança, liderança, domínio, extroversão e adaptação social.

Por iniciarem a prática esportiva numa idade em que não possuem total formação da personalidade, certamente as crianças e os adolescentes sofrerão maior influência do esporte no desenvolvimento desta do que os atletas adultos. É preciso ter em mente que, além do esporte de alto nível, a criança atleta também possui sua formação de personalidade influenciada pelo ambiente escolar, pela família e pela recreação (amigos, diversão). Os pais, muitas vezes, exercem sobre os filhos um apoio exagerado, criando traços de personalidade negativos, tais como: ambições exageradas, pressão do sucesso, medo de cobrança do rendimento e da pressão social.

Um grande problema que os pais enfrentam ao lidar com esse assunto diz respeito à definição da idade e dos níveis técnicos que caracterizam uma criança como atleta. É provável que as tensões da competição exerçam uma influência mais profunda sobre a personalidade da criança do que acontece quando adultos são expostos a uma atividade competitiva. A possibilidade de que a participação contínua no esporte competitivo possa diminuir o interesse infantil pelo próprio esporte tem preocupado muito os profissionais da área. A personalidade do técnico, se for diferente daquela de figuras de autoridade no passado da criança, também pode influenciar e causar tensão no contexto esportivo.

Segundo vários pesquisadores, os efeitos positivos da prática esportiva na evolução psicológica da criança são:

• Formação e integração do EU;

• Desenvolvimento da identidade própria;

• Conquista da estabilidade;

• Integração social.

Assim sendo, quando as crianças têm a possibilidade de experimentar amplamente durante o jogo as regras sociais e aprender as técnicas, constitui-se um fator essencial para uma adaptação positiva a mais ampla sociedade em sua vida adulta.

Portanto, mais uma vez, entra em questão o equilíbrio: esporte para crianças é extremamente benéfico, porém sem exageros e cobranças!

Leia também: A importância da educação física na escola

Por Maria Helena S. Castro, psicomotricista, atua com crianças que têm dificuldade neuromotora

Atualizado em 2 de maio de 2024

Comunicação PENSI

Comunicação PENSI

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.