PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Ovo: herói ou vilão?
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Ovo: herói ou vilão?

Ovo: herói ou vilão?

20/06/2024
  425   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

O ovo é um alimento altamente nutritivo, sendo uma excelente fonte de proteína de alta qualidade, contendo todos os aminoácidos essenciais necessários para o corpo. Além disso, é rico em vitaminas (como A, D e E, e do complexo B) e minerais (como ferro, zinco e selênio), que desempenham papéis fundamentais no funcionamento adequado do organismo.

Antigamente, o ovo era considerado um vilão da saúde devido ao seu alto teor de colesterol, o que levou muitas pessoas a evitarem-no, temendo que ele pudesse aumentar o risco de doenças cardiovasculares. No entanto, estudos mais recentes mostraram que o colesterol presente no ovo tem um impacto mínimo no aumento do colesterol sanguíneo, principalmente porque o colesterol dietético tem um efeito menor do que se pensava anteriormente sobre os níveis de colesterol no sangue.

Hoje, o ovo é reconhecido como um excelente alimento que pode fazer parte de uma dieta saudável e equilibrada. Ele é uma opção acessível, prática e nutritiva para incluir em diversas refeições, contribuindo para a saciedade, o controle do peso e a manutenção da saúde.

O ovo ainda tem enorme importância econômica, por ter menor custo que a carne, e poder ser preparado de inúmeras formas, isoladamente ou em conjunto com outros alimentos.

Tanto a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) quanto os Conselhos Regionais de Nutrição (CRN) reconhecem a importância dos ovos na alimentação infantil, mas também oferecem diretrizes sobre a forma e a quantidade adequadas de consumo. Por isso, é importante consultar os guias alimentares desses órgãos e, claro, um profissional especializado (nutrólogo ou nutricionista).

Mas, aqui estão algumas recomendações gerais:

  • Os ovos podem ser introduzidos na dieta a partir dos 6 meses de idade;
  • A introdução deve ser gradual e atenta a possíveis reações alérgicas;
  • O ovo pode ser consumido de 2 a 3 vezes por semana, sempre bem cozido para evitar contaminação.

Lembre-se de que os ovos devem fazer parte de uma dieta equilibrada, juntamente com outros alimentos saudáveis e conforme as necessidades nutricionais e preferências alimentares da criança.

Em relação à diferença entre ovos vermelhos e brancos – dúvida muito comum e frequente na internet – aqui vai a resposta: eles são absolutamente idênticos do ponto de vista nutricional, variando apenas a cor pela genética das galinhas.

Da salada à sobremesa, a versatilidade do ovo fez com que ele adquirisse um papel preponderante em nossa alimentação. Portanto, o ovo passou de vilão a herói na nutrição, sendo valorizado por seus benefícios nutricionais e sua versatilidade culinária.

Dr. Mauro Fisberg

Dr. Mauro Fisberg

Pediatra e Nutrólogo. Coordena o Centro de Excelência em Nutrição e Dificuldades Alimentares (CENDA) do Instituto Pensi. Membro do corpo de orientadores em Pediatria e Ciências Aplicadas à Pediatria da UNIFESP.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.