PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Saiba mais sobre as doenças que pioram à noite
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Saiba mais sobre as doenças que pioram à noite

Saiba mais sobre as doenças que pioram à noite

28/12/2011
  8936   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Existem doenças que se agravam durante a noite? Quais são as principais?

Os sintomas das doenças respiratórias, geralmente, se agravam à noite. Isto ocorre, por exemplo, com a asma, pois além do fato de estar deitado prejudicar a função ventilatória dos pulmões, durante o período noturno ocorre a menor produção de cortisol endógeno (hormônio importante para manter o funcionamento respiratório). A obstrução nasal também piora devido à posição, que ocasiona aumento da congestão nasal, provoca a respiração bucal, o ressecamento das mucosas e, muitas vezes, agrava a tosse.

Leia também: Tosse infantil: como saber quando é grave

O que os pais devem fazer quando surgem vômitos, alergia, febres, entre outros, no meio da madrugada? É melhor correr para o pronto socorro ou esperar até de manhã para levar a criança ao pediatra?

O primeiro passo é tentar controlar os sintomas e melhorar o bem estar do seu filho. Se a febre começou de madrugada, deve-se oferecer à criança um antitérmico para aliviar o incômodo, porém, o mais importante, nesse caso, é verificar o estado geral do pequeno. Se a temperatura baixar e ele ficar bem, sem vômitos, prostração, desconforto respiratório, os pais podem esperar para levá-lo até o pediatra. Se, por outro lado, os sintomas persistirem e ele permanecer cabisbaixo e com dificuldades para respirar, o socorro deve ser imediato. No caso de processos alérgicos e se os responsáveis já tiverem conhecimento das reações e do diagnóstico, o mais recomendado é iniciar a medicação que foi orientada pelo profissional de saúde e, se não houver melhora, procurar atendimento médico.

Leia também: Pronto-socorro ou consultório do pediatra?

Quais os cuidados para que as crianças não sofram (ou sintam menos) com os incômodos sintomas na hora de dormir?

O horário de surgimento dos sintomas na criança é imprevisível. O ideal é fazer o acompanhamento pediátrico adequado e conhecer quais os meios para tratar as doenças que a família pode dispor, em casos de necessidade noturna. Mas sempre é bom ressaltar que quando eles são persistentes ou graves, deve-se procurar atendimento imediato. Para isso existem os serviços de emergência.

Atualizado em 16 de fevereiro de 2024

Dra. Fátima Fernandes

Dra. Fátima Fernandes

Diretora Executiva do Instituto PENSI. Graduada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, com Residência Médica em Pediatria pelo Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo. É mestre em Alergia e Imunologia pela Universidade Federal de São Paulo e possui MBA em Gestão em Saúde pelo IBMEC.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.