PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Vamos pensar em nosso planeta? O que queremos deixar para nossas crianças?
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Vamos pensar em nosso planeta? O que queremos deixar para nossas crianças?

Vamos pensar em nosso planeta? O que queremos deixar para nossas crianças?

24/04/2023
  1849   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

O Dia da Terra ou Dia Mundial do Planeta Terra é comemorado em 22 de abril em todo o mundo. A data representa a luta em defesa do meio ambiente, promovendo a reflexão sobre a importância do planeta e o desenvolvimento de uma consciência ambiental. A data foi escolhida a partir de um fórum ambiental, que reuniu 20 milhões de pessoas nos anos 1970, nos Estados Unidos, para protestar contra o fumo. O evento foi fundamental para a aprovação de leis ambientais pioneiras sobre a emissão de gases negativos e a proteção de espécies ameaçadas.

Hoje em dia se fala muito em mudanças climáticas e os males que elas estão causando por todo o planeta. Por isso, seus filhos podem ter dúvidas sobre esse assunto. Muitos estão ouvindo falar ou vivenciando desastres causados ​​pelas mudanças climáticas, como incêndios florestais e tempestades severas e todas essas coisas podem gerar dúvidas, assim como temores. Para isso, devemos conversar com as crianças.

A mudança climática afeta a todos, e ainda mais as crianças, que são especialmente vulneráveis ​​aos danos à saúde ambiental, pois, elas ainda estão crescendo e têm maior exposição ao ar, alimentos e água (com base no peso).

Embora a crise climática possa parecer um assunto avassalador, existem maneiras saudáveis ​​de conversar com as crianças sobre isso. Podemos nos comunicar de maneira honesta, esperançosa, apropriada ao desenvolvimento e orientada para a ação. Ao ajudar as crianças a entender a questão da mudança climática e como isso afeta sua saúde e futuro, nós as capacitamos a fazer a diferença.

Conversar com os nossos filhos ou com crianças sobre isso vai implicar no seu nível de compreensão, por isso precisamos dividir em faixas etárias:

1 – Bebês e crianças pequenas (de 1 a 5 anos). As crianças estão apenas começando a aprender sobre seu relacionamento com o mundo. É um momento perfeito para apresentá-los às alegrias da natureza. Aqui estão algumas ideias:

# Passeie na Natureza. Faça caminhadas para mostrar como o clima afeta a natureza. Fale sobre como o clima faz as estações. Você pode apontar ninhos de pássaros, por exemplo, e falar sobre como o clima influencia quando e onde os pássaros fazem seus ninhos. Fale sobre outros animais selvagens e discuta como todos eles têm casas que precisam ser protegidas. Praias, rios e lagos – se estiverem disponíveis na sua região – também podem ajudar. Se nada disso for fácil, que tal uma praça ou parque da sua cidade?

# Jardinagem. Escolha sementes de frutas, vegetais ou flores para plantar em seu jardim ou ervas para plantar em caixas na cozinha. As crianças pequenas podem ajudar a cuidar das plantas e, consequentemente, ficarem entusiasmadas ao ver algo crescer do nada. Fale sobre como seu filho(a) precisa de ar para respirar, assim como as plantas e os animais. Quando os poluentes ficam no ar, isso afeta sua saúde.

# Foco local. Aponte os efeitos locais das mudanças climáticas, dependendo da sua localização. Algumas áreas podem ser mais propensas a incêndios florestais, furacões e inundações, enquanto outras podem sofrer ondas de calor mais longas e intensas ou ainda um aumento de doenças causadas por mosquitos e carrapatos.

2 – Crianças em idade escolar (de 6 a 12 anos). Comece explicando os conceitos por trás da mudança climática em termos científicos simples. Pergunte o que eles sabem ou pesquisem juntos. Museus de ciência como o Catavento, em São Paulo, podem ser de grande auxílio.

# Fazer conexões. Discuta como as escolhas pessoais podem afetar o meio ambiente e demonstre respeito pela natureza. Calculem, juntos, a pegada de carbono de sua família e pergunte o que eles sugerem para reduzi-la. Exemplos incluem: desligue as luzes depois de sair da sala; tente andar de bicicleta ou a pé, usar transporte público ou pedir carona, quando possível; coma uma dieta mais vegetal; explique como as pessoas – incluindo crianças – podem ser forças poderosas na proteção do meio ambiente. Saliente que as escolhas que fazemos podem ajudar a tornar o nosso planeta e as pessoas mais saudáveis.

3 – Adolescentes (de 13 a 18 anos). Os adolescentes estão mais conscientes de como os problemas podem influenciar todos os aspectos de suas vidas. Mostre que a mudança climática pode afetar a nossa economia e sociedade. Isso pode despertar a curiosidade científica e introduzir a ideia de responsabilidade cívica.

# Relacionar-se com eventos recentes. Escolha um evento recente ou em andamento e discuta como a mudança climática pode ter contribuído para o evento e seus efeitos econômicos. Por exemplo:

– Fale sobre como a mudança climática está causando incêndios florestais mais longos e graves na Amazônia. Discuta como também está causando a poluição do ar, que força as pessoas a ficarem dentro de casa. Considere os efeitos que tudo isso pode ter na saúde mental das famílias.

– Explore como a mudança climática não afeta a todos igualmente e como algumas comunidades enfrentam mais riscos à saúde. Discuta como todos devem ter oportunidades iguais de limpar o ar e a água.

– Tome uma atitude. Incentive seu filho(a) adolescente a encontrar soluções e maneiras criativas de expressar suas ideias. Exemplos incluem: use uma apresentação de aula de ciências, escoteiros ou outro projeto para educar os colegas sobre a necessidade de soluções para as mudanças climáticas; forme um clube na escola com outros colegas interessados ​​e faça um brainstorming sobre como ajudar sua comunidade local; junte-se a uma organização nacional de defesa da juventude para obter mais inspiração.

– Trabalhem juntos para fazer mudanças em casa, incorporando as ideias de seu filho(a) adolescente. Participe da defesa da causa como uma família.

Ao conversar com seu filho(a), mantenha-se esperançoso(a) e focado(a) nas soluções. Temos ferramentas para tomar medidas climáticas agora, que podem trazer benefícios imediatos para nossa saúde. Lembre-os disso. Mesmo que a crise climática esteja se acelerando, enfatize que, juntos, podemos limpar nosso ar e água e reduzir a nossa pegada de carbono.

As crianças são a próxima geração de inovadores e pensadores. A liderança jovem já está fazendo uma enorme diferença. Se nutrirmos amor pelo meio ambiente desde cedo, as crianças podem encontrar as melhores soluções. Não se surpreenda se eles também lhe ensinarem algo ao longo do caminho.

A preocupação do meio ambiente e sua ligação com a saúde é uma das bandeiras da Fundação José Luiz Egydio Setúbal, que tem vários projetos de atuação nessa área. Entre em nosso portal para conhecer mais sobre nós e nossas atividades!

 

Fontes:

Conselho de Saúde Ambiental da Academia Americana de Pediatria (Copyright © 2021) – SOS Mata Atlântica

Jornada X

Escoteiros do Brasil

Museu Catavento

Greenpeace Brasil

 

Saiba mais:

https://institutopensi.org.br/de-um-pouco-de-natureza-para-suas-criancas/

https://institutopensi.org.br/criancas-e-areas-verdes-urbanas-na-era-digital/

https://institutopensi.org.br/falando-das-mudancas-climaticas-e-seus-problemas-com-as-criancas/

https://institutopensi.org.br/mudancas-climaticas-poluicao-por-combustiveis-fosseis-e-saude-infantil/

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

(CRM-SP 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, com especialização na Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduação em Gestão na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás, David e Benjamim.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.