PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Falando das mudanças climáticas e seus problemas com as crianças
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Falando das mudanças climáticas e seus problemas com as crianças

Falando das mudanças climáticas e seus problemas com as crianças

29/09/2022
  140   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Todos os dias, os pediatras veem como as mudanças climáticas afetam a saúde física e mental das crianças. Quando conversamos com os pais sobre o que é bom para os seus filhos, parte do nosso trabalho é conectar os pontos entre as mudanças climáticas e a saúde dos pequenos.

Os pediatras e os pais compartilham o mesmo objetivo: proteger a saúde das crianças hoje e garantir que elas possam crescer em uma vida adulta saudável e próspera. É por isso que os pediatras se preocupam em conectar os pontos entre as mudanças climáticas e a saúde das crianças e defendem soluções para o meio ambiente. Seria bom que todos os pediatras conversassem com pais, mães e as próprias crianças sobre esses problemas e como eles podem afetar a saúde de todos.

Existe um aumento de doenças respiratórias pelo aumento da queima de combustíveis fósseis. A própria agropecuária intensiva também pode ser responsável por desmatamentos em diversas áreas do planeta. O excesso de calor ainda pode provocar desequilíbrio na reprodução de mosquitos, que são vetores de doenças como a dengue, a malária etc.

A temperatura da Terra está subindo. As geleiras estão encolhendo. O nível do mar está subindo. O clima tornou-se mais extremo, tanto quente como frio, assim como chuvas e secas em diferentes partes do mundo. As temperaturas crescentes causaram grandes mudanças e são resultado das atividades humanas, especialmente da nossa dependência da combustão de combustíveis fósseis para energia e transporte.

Há um consenso científico esmagador sobre a realidade e as causas humanas das mudanças climáticas, e a probabilidade de as questões sanitárias, econômicas e ecológicas piorarem – se as tendências atuais continuarem – é grande. A boa notícia é que temos o conhecimento e os meios para agir agora, mudar e investir em um futuro mais saudável.

Uma coisa que você pode fazer é conversar com o seu filho sobre esse assunto. Peguei algumas dicas em um site da NASA para crianças:

Qual é a diferença entre tempo e clima?

A principal diferença é o tempo. O tempo é apenas temporário. Por exemplo: uma tempestade ou frente fria pode se transformar em uma inundação depois de apenas alguns dias quentes de primavera. O clima, por outro lado, é mais do que apenas alguns dias quentes ou frios. Clima descreve as condições climáticas típicas em uma região inteira por um período muito longo – 30 anos ou mais.

O que é mudança climática?

A mudança climática descreve uma mudança no clima típico de uma região, como temperaturas altas e baixas e a quantidade de chuvas durante um longo período. Os cientistas observaram que, em geral, a Terra está aquecendo. Na verdade, muitos dos períodos mais quentes já registrados aconteceram nos últimos 20 anos. Esse aumento da temperatura em várias partes do mundo é chamado de aquecimento global.

Como sabemos que o clima da Terra está ficando mais quente?

Os cientistas observam a Terra há muito tempo. Eles usam satélites da NASA e outros instrumentos para coletar diversos tipos de informações sobre a terra, a atmosfera, o oceano e o gelo. Esta informação nos diz que o clima está ficando mais quente.

Por que a Terra está aquecendo?

Alguns dos gases na atmosfera da Terra retêm o calor do Sol, como o telhado de vidro e as paredes de uma estufa. Esses gases de efeito estufa mantêm a Terra aquecida o suficiente para viver. Mas as atividades humanas, como a destruição de florestas e a queima de combustíveis fósseis, criam gases de efeito estufa extras. Isso retém ainda mais o calor do Sol, levando a uma Terra mais quente.

O que o carbono tem a ver com isso?

O carbono está em todos os seres vivos da Terra. À medida que as plantas e os animais morrem, eles são enterrados no solo. Depois de anos suficientes, esses restos subterrâneos esmagados podem se transformar em combustíveis fósseis, como carvão e petróleo. Quando queimamos esses combustíveis, o carbono que estava no solo vai para o ar como um gás chamado dióxido de carbono, ou CO2. Plantas e árvores podem absorver parte desse dióxido de carbono extra. Porém, muito dele fica na atmosfera como um gás de efeito estufa que aquece o planeta.

O clima já mudou antes?

Sim, mas desta vez é diferente. Ao longo de milhões de anos, o clima da Terra aqueceu e esfriou muitas vezes. No passado, a Terra costumava aquecer quando o Sol estava muito ativo. Mas, hoje em dia, podemos medir cuidadosamente a atividade do Sol. Sabemos que a Terra está aquecendo agora, mesmo quando o Sol está menos ativo. Hoje, o planeta está aquecendo muito mais rápido do que ao longo da história humana.

Não parece mais quente onde eu moro. Por que as mudanças climáticas são importantes?

As temperaturas médias do ar perto da superfície da Terra subiram cerca de dois graus Fahrenheit no século passado. Alguns graus ao longo de cem anos podem não parecer muito. No entanto, essa mudança pode ter grandes impactos na saúde das plantas e dos animais.

O que as mudanças climáticas fazem com o oceano?

À medida que a Terra aquece, a NASA observou que o nível do mar está subindo. Isso se deve, em parte, ao derretimento do gelo. Geleiras e mantos de gelo são grandes massas de gelo que ficam na terra. À medida que nosso planeta aquece, esse gelo derrete e flui para os oceanos. Mais água nos oceanos aumenta o nível do mar. Além disso, a água se expande à medida que fica mais quente. Assim, a água quente ocupa mais espaço em nossos oceanos – elevando o nível do mar.

As propriedades da água do oceano também estão mudando. Uma mudança é chamada de acidificação dos oceanos e pode ser prejudicial para plantas e animais. Os cientistas observaram que o oceano está se tornando mais ácido à medida que sua água absorve dióxido de carbono da atmosfera.

Como os cientistas estão estudando as mudanças climáticas?

Os cientistas estudam o clima usando muitas ferramentas no solo, no ar e no espaço. Por exemplo: os satélites da NASA estão orbitando a Terra o tempo todo. Eles medem o dióxido de carbono na atmosfera. Eles monitoram o derretimento do gelo e medem o aumento do nível do mar e muitas outras coisas. Essas informações ajudam os cientistas a aprender mais sobre as mudanças climáticas da Terra.

O que posso fazer?

A mudança climática parece grande, mas é algo que podemos aprender e trabalhar juntos! Os cientistas da NASA estão estudando e monitorando as mudanças climáticas e existem algumas maneiras de ajudá-los a aprender mais.

Os jovens estão bem ligados nesses problemas e têm alguns ídolos como Greta Thunberg ou a representante brasileira dos povos indígenas Txai Suruí ou ainda a jovem Amanda Costa, só para citar alguns. Você pode ler mais no link abaixo que fala sobre as jovens lideranças brasileiras sobre mudança climática.

No nosso 6ª Congresso Sabará-Pensi de Saúde infantil, abordaremos esse tema em algumas mesas e em uma conferência magna no dia 6 de outubro, ministrada pelo professor Paulo Saldiva, sobre o impacto da poluição na saúde das crianças.

Precisamos cuidar melhor do nosso planeta para que nossas futuras gerações tenham mais saúde e um ambiente melhor!

Fontes:

Saiba mais:

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.