PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
O seu filho quer brincar sozinho?
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
O seu filho quer brincar sozinho?

O seu filho quer brincar sozinho?

01/04/2015
  402   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

brincardefazdeconta

Em geral, a partir dos 3 anos as crianças querem um tempinho para brincar sozinhas, sem os adultos por perto. Nessa hora entra, por exemplo, a “brincadeira de imaginação”, que na linguagem dos especialistas em desenvolvimento se chama: faz de conta.

Nesta fase e até os 7, 8 anos, as crianças imitam as atividades dos adultos e transformam todas as referências (desenhos, filmes, atividades do dia a dia) que têm em brincadeiras de fantasia. É princesa para um lado, herói de outro. Isso sem falar no dia em que acordam médicos, professores, ou são pais e mães que cuidar dos filhinhos. Também pode ter o dia de escritório, do bombeiro, do monstro e assim por diante.

Você não só pode como deve estimular estas atividades e inclusive respeitar o fato dela querer brincar sozinha. Neste caso, o que você pode fazer para ajudar no processo é:

 1 – Respeitar o tempo da criança.

Pense bem. Se você precisa de tempo para desenvolver um projeto de trabalho, a criança também precisa de tempo para desenvolver seu faz de conta. Então, dê tempo a ela para brincar, para sua imaginação voar longe. Segure a vontade de ficar perguntando o que ela está fazendo; evite interromper. Só fique atento de longe para ver se ela não se coloca em perigo.

 

2 – Oferecer estímulos para o faz de conta.

Uma caixa de papelão, tubos vazios de papel higiênico, um lençol, echarpes, tecidos, revistas velhas, aquela calculadora antiga. Todos estes materiais – e muitos outros existentes em casa – são o sonho de qualquer criança “imaginadora”. Então, separe este tipo de objetos sempre que puder. Melhor ainda se você deixar disponível sem que eles percebam. Dá aquela ideia de “uau! Olha o que nós achamos!”

Enquanto brinca de faz de conta, a criança treina seu comportamento social, aprende a cumprir regras, vivencia como é estar no papel do outro e ainda aprende a trabalhar situações vividas e superar medos. Viva a brincadeira de faz de conta!

 

Foto de capa: Sharon Mollerus http://bit.ly/br_junto

 

Patrícia Marinho

 

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade