PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
A pandemia e o problema crescente da miopia
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
A pandemia e o problema crescente da miopia

A pandemia e o problema crescente da miopia

17/02/2021
  875   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Miopia é uma condição ocular comum que geralmente se desenvolve nas primeiras duas décadas de vida. Sua prevalência vem aumentando no mundo todo. Entre os americanos, aumentou de 25% na década de 1970, para 42% da população na década de 2000. Em todo o mundo, a prevalência era de 23% em 2000 e projeta-se que será de 50% em 2050.

Sabe-se há muito tempo que há um componente genético no desenvolvimento da miopia infantil. No entanto, um crescente corpo de novas evidências descobriu que os fatores ambientais desempenham um papel mais significativo na epidemia de miopia. Entre eles, a redução do tempo ao ar livre e o aumento das atividades próximas ao trabalho, incluindo trabalho escolar, leitura e tempo de tela, começando em uma idade jovem.

Pais míopes e o início da miopia entre 5 e 8 anos de idade ajudam a identificar as crianças que precisam ser monitoradas mais de perto, pela propensão à miopia progressiva. Boa parte dos pais míopes estão familiarizados com os riscos de miopia progressiva porque eles ou outro membro da família teve um descolamento de retina ou outra complicação de alta miopia. Há pais e filhos que ficam ansiosos quando ouvem que a prescrição mudou novamente.

Além da hereditariedade, uma das causas que podem justificar esta “epidemia” é o uso em excesso de tecnologias. Um estudo médico com 360 crianças de 6 a 9 anos mostra que os sintomas de miopia podem estar relacionados ao grande esforço visual para perto imposto por horas em frente às telas eletrônicas. É a miopia acomodativa, uma dificuldade temporária de enxergar à distância, que pode se tornar permanente se o hábito não for modificado, alertam os oftalmologistas. Outros estudos indicam que o míope tem facilidade de enxergar de perto, e, diante de um aparelho eletrônico, a visão para longe não é estimulada.

O crescente problema da miopia tem recebido ainda mais atenção agora que tantas pessoas estão gastando mais tempo online para a escola e o trabalho. Durante a pandemia de Covid-19, a transição para a escola virtual mudou a duração das atividades de quase-trabalho (usando um computador, por exemplo) e das brincadeiras ao ar livre para as crianças. As crianças passam muito mais tempo nos computadores, especialmente se estiverem em aulas virtuais. Elas podem não estar fazendo intervalos suficientes, saindo com a frequência que costumavam fazer e descansando os olhos.

Os pediatras desempenham um papel crucial no rastreamento de problemas de visão e doenças oculares, incluindo a identificação de crianças com miopia e, potencialmente, aquelas que estão em risco de desenvolvê-la.

Também podemos ajudar lembrando os pais de incentivarem seus filhos a fazer pausas frequentes na tela para descansar os olhos e fazer caminhadas e passeios de bicicleta com eles sempre que possível. Eles podem incentivar as crianças a largar seus smartphones e brincar com um jogo de tabuleiro, passear com o cachorro ou ajudar a preparar o jantar.

Veja algumas recomendações fáceis de serem seguidas:
1. Descanso: A cada hora mexendo no celular, tablet ou computador, deixe o olho descansar pelo menos 20 minutos. Use este tempo para olhar para pontos distantes.
2. Ar livre: A prática de atividades ao ar livre pode ajudar a evitar a miopia. Isso porque a luz externa faz a pupila contrair e ajuda aprofundar o foco.
3. Alimentação: O excesso de açúcar na alimentação eleva a produção de insulina e favorece o crescimento do eixo óptico, que caracteriza a miopia.
4. Atenção aos sinais: Se seus filhos cerram os olhos para conseguir enxergar algo distante, chegam perto demais da TV ou do celular, leve-os ao oftalmologista para uma avaliação, pois estes são sintomas de miopia.
Os potenciais impactos socioeconômicos e efeitos na qualidade de vida provocados por deficiência visual são motivo de alarme. É necessário um esforço conjunto para compreender melhor suas razões, bem como maneiras de reduzir a taxa de desenvolvimento e progressão da miopia.

Saiba mais sobre este assunto:
Sintomas de Miopia: uso de tablets e smartphone pode influenciar?
Cuidando dos olhos do seu filho

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade