PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Atente-se aos cuidados após as lesões esportivas
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Atente-se aos cuidados após as lesões esportivas

Atente-se aos cuidados após as lesões esportivas

06/11/2012
  1878   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Crianças e jovens estão sempre em atividade e se machucam, muitas vezes, durante a prática de esportes. A dúvida dos pais é saber qual é o momento ideal para levá-los ao pronto atendimento ou ao pediatra depois de lesões causadas pela prática do exercício físico.

O retorno seguro e rápido às atividades após uma lesão esportiva ou de uma doença depende do reconhecimento da lesão e do tratamento precoce. Saber quando consultar o médico é um passo importante no processo de cura. Sobre esses dois itens, há poucas dúvidas sobre a necessidade de levar a criança ou o adolescente ao hospital. No entanto, é muito mais difícil saber quando recorrer à ajuda médica se não houver um trauma óbvio ou se os sintomas não atrapalharem as atividades.

Lesões como fraturas, tendinite ou fadiga geradas pelo estresse acontecerão ao longo do tempo e, muitas vezes, há sintomas sutis que os adolescentes gostam de esconder. O resultado pode ser uma demora no diagnóstico e no tratamento, e os atrasos podem levar a uma lesão mais grave ou incapacitante.

Leia também: Previna lesões causadas por excesso de esforço

Quando os atletas devem procurar um médico:

– Sintomas que não desapareceram após o repouso e tratamento em casa;

– Qualquer condição que afeta a atividade ou o desempenho e que não foi dado um diagnóstico ou não tenha sido tratada;

– Qualquer condição que pode ser um risco para outros colegas ou concorrentes.

Tipos de condições:

Existem três tipos de condições em que um atleta pode precisar ver um médico:

Lesões agudas: entorses, distensões, fraturas, tendinites, luxações, arranhões, cortes etc.;

Lesões por excesso de uso: tendinite, bursite, fascites, doença de Oosgood-Schlater, compressão de nervos, síndrome compartimental etc.;

Doenças médicas: concussão, dores, febres, infecções, cardiopatias, asma, nefropatias etc.

Saiba mais sobre as fraturas

Além disso, qualquer atleta com uma lesão crônica ou condição médica alterada deve consultar um médico e ser autorizado a participar atividades esportivas. Mesmo para uma atividade física leve e moderada é uma boa ideia, para todos os atletas, ter um check-up anual. Isso é necessário para saber sobre qualquer histórico de problemas médicos, ferimentos ou uso regular de medicamentos, ou se há dúvidas sobre o treinamento.

Fonte: Care of the Young Athlete Patient Education Handouts (Copyright © 2010 American Academy of Pediatrics)

Atualizado em 5 de abril de 2024

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

(CRM-SP 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, com especialização na Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduação em Gestão na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás, David e Benjamim.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.