PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Atividade física: faça a escolha certa para o seu filho
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Atividade física: faça a escolha certa para o seu filho

Atividade física: faça a escolha certa para o seu filho

15/05/2014
  4086   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Todas as crianças precisam de atividade física regularmente para crescerem saudáveis em todos os sentidos. Mas quais as atividades físicas são as melhores para o seu filho? Veja como fazer as escolhas adequadas de acordo com a personalidade do seu pequeno.

Se você e as crianças passam muito tempo dentro de casa, é um excelente momento para começar a promover tendências naturais do seu filho para correr, saltar, cair. Em geral, as brincadeiras são mais difíceis do que nunca no mundo atual das grandes e violentas cidades. Recomenda-se que uma criança ou adolescente pratique exercícios físicos por, pelo menos, 60 minutos todos os dias.

Questões práticas

Promover um estilo de vida ativo é a forma ideal para incentivar hábitos saudáveis ​​que duram uma vida. Satisfazer as necessidades físicas de nossos filhos também se encaixa bem na hora de trabalhar para o seu bem-estar total.

A atividade física é importante para o desenvolvimento muscular e densidade óssea e é especialmente importante que as crianças se exercitem a fim de promover a saúde do coração e do pulmão. Não só para prevenir a obesidade, mas também para o diabetes e colesterol alto em crianças com predisposição genética. Estimativas afirmam que mais de 15% das crianças norte-americanas estão na categoria de obesos, e até 80% destes permanecerão obesos até a idade adulta.

Idades e fases

Atenção, habilidades motoras e maturidade emocional são fatores importantes a considerar antes de saltar para uma nova rotina.

Crianças (idades 2-3): sempre sob supervisão e com brincadeiras não estruturadas que devem permitir explorar uma variedade de ambientes seguros. Vê-lo dominar movimentos básicos como correr, andar com obstáculos e nadar.

Pré-escolares (4 a 6 anos): nesta fase, a criança pode andar distâncias maiores, e também correr, dançar, pular corda e jogar bola com melhores habilidades motoras. É importante supervisionar a brincadeira, pois em geral é ainda desorganizada. Introduzir uma estrutura por meio de jogos como pique-bandeira ou amarelinha.

Ensino Fundamental (de 7 a 9): caminhada, corrida, tempo de playground, ginástica e ciclismo são populares para essa faixa etária, além de atividades organizadas simples, como minigolfe. Ele pode lidar com padrões de movimento mais sofisticados, incorporando acompanhamento visual avançado e equilíbrio. Deixe seu filho participar de um esporte de equipe, como o futebol. As crianças com idade de 7 a 8 ainda não desenvolveram totalmente sua coordenação olho-mão ou de equilíbrio, de modo que o exercício deve ser em superfícies planas e não deve exigir um monte de manobras complexas.

Diversão é o nome do jogo para todas as crianças. Pressão para participar de atividades que não correspondem com interesses e habilidades de uma criança ou tentar impor o “exercício” obrigatório em vez de jogar pode facilmente minar a alegria da atividade física.

Dicas rápidas: motivação

Dê ao seu filho um pequeno empurrão para fora do sofá com algumas dicas dos especialistas (a AAP):

  1. Liderar pelo exemplo: seu nível de atividade define um poderoso exemplo em casa. Os pais que tornam o exercício uma prioridade em suas vidas irão aumentar significativamente a chance de que os membros da família façam o mesmo.
  2. Envolva-se: a participação em jogos de família e atividades contribui para tempo de ligação sólida – e as boas lembranças.
  3. Limite o tempo do computador ou TV: restringir a duas horas por dia o número de horas que o seu filho está autorizado a ver televisão, jogar videogame e usar o computador. Jogos que envolvam dança ou esportes podem ajudar na transição de níveis baixos a moderados de atividade.
  4. Manter a ênfase na diversão e no prazer. Quanto mais flexível você for, mais o seu filho vai sentir um senso de escolha e controle.
  5. Tipo de corpo: altura, peso e força são sérios quando se trata de reduzir o risco de lesões. Procure grupos que são organizados pela habilidade versus idade.
  6. Maturidade emocional: a capacidade de lidar com altos e baixos da competição, manter a rotina, suportar o estresse físico e exposição à competição são essenciais.
  7. Custo: equipamentos, uniformes, taxas de iniciação, transporte e assistência médica realmente ajudam. Não vale a pena se a pressão sobre o orçamento cria estresse em casa, ou se o seu filho decide tentar um novo esporte no meio da temporada.
  8. Liderança: equipe com um instrutor ou treinador cuja experiência, atitude e os valores satisfazem a sua aprovação.

 

Leia também: A importância da atividade física nos tempos atuais

Fonte: Healthy Children ​​Magazine, Back to School 2008

As informações contidas neste site não devem ser usadas como substitutas para o tratamento médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Atualizado em 10 de junho de 2024

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

(CRM-SP 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, com especialização na Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduação em Gestão na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás, David e Benjamim.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.