PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Cuidados com o repouso após concussão
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Cuidados com o repouso após concussão

Cuidados com o repouso após concussão

04/02/2014
  995   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Saiba como lidar com este quadro, especialmente quando acontece com crianças

concussão

Muitos pais perguntam aos médicos quando e como fazer a criança voltar a estudar após um trauma na cabeça. Este interessante artigo da Pediatrics fala um pouco sobre o que é importante fazer.

Depois de uma concussão (qualquer lesão que perturba o funcionamento normal do cérebro de forma temporária ou permanente. Os abalos são normalmente causados por um golpe ou choque na cabeça), os adolescentes que se envolveram nos níveis mais altos de atividade cognitiva levaram mais tempo para se recuperarem totalmente de seus sintomas, de acordo com um estudo realizado em fevereiro 2014 pela publicação.

O estudo, “Efeito do Nível de Atividade Cognitiva na duração dos sintomas pós-concussão”, acompanhou 335 pessoas com idades entre 8 a 23 anos, que visitaram uma clínica entre outubro de 2009 e julho de 2011, depois de sofrerem o acidente.

Os participantes relataram o tipo de repouso que fizeram após o trauma:

• Repouso completo, mínima atividade cognitiva (nenhuma leitura ou trabalho de casa, e menos de 20 minutos por dia de atividade online e jogos de vídeo);

• Atividade cognitiva moderada (ler menos de 10 páginas por dia e menos de 1 número total de horas de lição de casa, atividades online e videogames) e atividade cognitiva significativa (ler pouco e fazer menos lição de casa do que o habitual);

• Atividade cognitiva completa.

Aqueles que tiveram atividades cognitivas mais intensas levaram, aproximadamente, 100 dias, em média, para se recuperarem dos sintomas em comparação aqueles com menos atividades cognitivas após o trauma com cerca de 20 a 50 dias.

O estudo adiciona suporte para as recomendações da Academia Americana de Pediatria e de outros grupos a favor de acomodações acadêmicas que permitam descanso cognitivo para que os alunos se recuperem das concussões, podendo acelerar o processo.

O estudo constatou que os pacientes que tiveram menos atividade cognitiva apresentaram duração semelhante dos sintomas aos que não fizeram nenhuma atividade, o que sugere que a abstinência completa de atividade cognitiva pode ser desnecessária.

Por Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Effect of Cognitive Activity Level on Duration of Post-Concussion Symptoms | Pediatrics

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade