PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Dificuldades Alimentares na Infância
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Dificuldades Alimentares na Infância

Dificuldades Alimentares na Infância

03/06/2016
  622   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

A queixa mais comum nos consultórios pediátricos de todo mundo é a de que a criança come mal ou não come. Em estudos realizados em diferentes partes do mundo, verifica-se que mais de 50% das mães queixam-se de que seus filhos tenham problemas com a alimentação. E uma das coisas mais importantes, é que se sentem angustiadas por que seus clínicos não conseguem resolver a situação ou referem que o processo não é grave ou que passará sem intervenção.

O curso de Dificuldades Alimentares foi determinado pela necessidade de entender que as principais situações que fazem com que as crianças tenham pouco apetite são bastante complexas e podem precisar de um acompanhamento muito específico e  envolvem a multidisciplinaridade de cuidados. 

Um diagnóstico adequado das causas de alimentação inadequada passam por uma análise detalhada da história clínica e antecedentes alimentares, assim como do meio ambiente da família, escola e vida social da criança. De uma pequena recusa a um tipo de alimento até a rejeição profunda a todos os alimentos de determinada consistência, grupo, sabor, cor ou instrumento utilizado para a comida, as dificuldades pressupõe uma avaliação criteriosa de toda a vida da criança e sua família.

Não é suficiente indicar um estimulante de apetite ou realizar exames de rotina. O baixo apetite ou problemas na alimentação devem ser investigados para afastar causas orgânicas, comportamentais, do momento da refeição e do dia a dia do paciente. Avaliar o estilo parental e comparar com os principais aspectos da clínica é o enfoque do grupo de estudiosos em alimentação infantil e seus principais problemas neste curso. As conferencias abordam o aspecto integrado, a terapia sensorial e os principais aspectos do acompanhamento por diferentes especialistas, do pediatra, nutrólogo, nutricionista, terapeuta ocupacional, psicólogos e especialmente a necessidade do diálogo contínuo entre diferentes profissionais de saúde.

Clique aqui para se inscrever!

Comunicação PENSI

Comunicação PENSI

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade