PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Entenda o ritmo de crescimento do bebê
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Entenda o ritmo de crescimento do bebê

Entenda o ritmo de crescimento do bebê

15/04/2013
  1048   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Os pais precisam respeitar o amadurecimento da criança desde o nascimento 

Crescimento do Bebê

Por mais que os pais possam querer apressar os pequeninos para a próxima fase de desenvolvimento, a maioria delas seguem o mesmo crescimento geral e padrão que não pode ser mudado muito.

Especialistas em desenvolvimento infantil dizem que não é possível uma criança progredir para um novo estágio de desenvolvimento antes que ele ou ela esteja pronto para isso. O progresso pode ser diferente por semanas ou até meses entre as crianças da mesma idade. Enquanto ela progride e desenvolve novas habilidades com o tempo, então ele ou ela está indo bem, mesmo se uma etapa é pulada.

Então, se uma criança desmama antes, ou diz apenas uma palavra, ou grita quando a mãe sai da sala, ou pula e rasteja para andar, os pais devem entrar em pânico?

Nem um pouco. As crianças estão programadas para aprender e crescer. O trabalho dos pais, conforme a Academia Americana de Pediatria (AAP) afirma, é nutrir, incentivar e proporcionar um ambiente estimulante.

Esqueça o que os irmãos ou a criança do vizinho fizeram na mesma idade. Cada uma delas são como impressões digitais: não existem duas iguais.

A AAP oferece os seguintes marcos de desenvolvimento e as diretrizes para os pais. O grupo de autores ressalta que os marcos descritos nem sempre coincidem com o seu filho.

Nascimento até 2 meses

O bebê vê rostos e padrões geométricos simples e reconhece a voz da mãe. Tem “aperto”, ou seja, reflexo para segurar o que é colocado na mão, segue objetos em movimento com os olhos e sorri. O sorriso social (aquele de bebê recém-nascido) marca uma conexão significativa de nervos. É um sinal importante da função mental superior. Isso significa que o bebê pode diferenciar entre ele e o meio ambiente em que a socialização começou.

3 meses a 5 meses

O bebê move braços e pernas igualmente bem, emite sons e aprende confiança.

6 meses

O bebê brinca com as mãos, tenta pegar os objetos, ri alto e rola. Quando é hora de seu filho dominar uma nova habilidade, como rolar, o ímpeto inato dele combina com o desenvolvimento neurológico e interligações dos neurônios. Esses elementos, auxiliados por um ambiente estimulante, podem significar o sucesso do desenvolvimento.

9 meses a 1 ano

A criança vira a cabeça em sons baixos, pode suportar o peso nas pernas e ficar de pé sem se apoiar, segura a mamadeira e experimenta a “ansiedade de separação”. Isso ocorre quando o cuidador deixa o bebê momentaneamente. Na mente dele, o responsável não existe mais e ele chora inconsolavelmente. Brincar de esconde-esconde é uma boa maneira de ajudar o bebê passar por essa fase, pois ele precisa aprender que pessoas e objetos existem mesmo que não possam ser vistos.

12 meses a 18 meses

A criança faz sons como “ma-ma” ou “da-da”, rasteja, puxa-se para cima e se apoia em móveis para andar. A força do bebê ajuda a desenvolver a coordenação muscular e, a sincronia com o desejo inato de se mover do ponto A para o ponto B, faz com que ele consiga andar.

18 meses a 2 anos

A criança entra em uma sala sem assistência, diz pelo menos duas palavras, tira os sapatos, alimenta-se e bebe a partir de um copo. Essas tarefas complicadas requerem olho preciso e coordenação das mãos.

2 a 2-1/2 ano

A criança diz pelo menos três palavras (além de “ma-ma” e “pa-pa”), corre sem cair, começa a ter controle intestinal e da bexiga, e experimenta a necessidade de explorar. Os cientistas chamam esse período de domínio, popularmente conhecido entre os pais de os “terríveis dois anos”. Os responsáveis passam a colocar bloqueio nas janelas e nas escadas, porque a criança não tem autodisciplina suficiente para resistir à tentação de escalar, saltar e explorar.

Crescer e aprender são tarefas complexas e, enquanto as crianças passam pelas grandes mudanças físicas e mentais, os obstáculos são geralmente temporários. Com paciência, os pais podem gerir com sucesso o bebê e torná-lo um jovem habilitado para ser um adulto saudável.

Por: Dr. José Luiz Setúbal
Fonte: Academia Americana de Pediatria (AAP)

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade