PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Era uma vez… Marcella e Daniela, as amigas inseparáveis
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Era uma vez… Marcella e Daniela, as amigas inseparáveis

Era uma vez… Marcella e Daniela, as amigas inseparáveis

27/10/2014
  2127   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

amizade

Uma história como tantas outras que acontecem no caminho da gente e fazem a vida valer a pena.

Quando Marcella entrou para a escola, ela tinha acabado de fazer 2 aninhos. Filha única e super agarrada com papai e mamãe, lá ficaram os dois escondidinhos na sala do diretor esperando para ver qual seria a reação no primeiro dia de aula, que foi… Nenhuma. Prontos para intervir e aplacar o choro de saudade, ambos se olharam com um quê de surpresa nos olhos e assistiram, de longe, Marcella logo começar a brincar com seus mais novos amiguinhos, sem nem olhar para trás. Dentre eles, um se destacou: Daniela passou ao seu lado todo o primeiro dia de aula – e todos os outros daquele ano também.

Logo os pais de ambas fizeram amizade, afinal mesmo tão pequenininhas elas não se desgrudavam. As festinhas elas iam juntas e juntas foram também à primeira sessão de cinema. Enquanto Daniela dormia a sono solto no colo da mãe, Marcella  via de pé, agarrada ao banco da frente e com os olhos muito abertos, aquele primeiro desenho da sua vida na telona. Ela nem sabia, mas o gosto pelo cinema guiaria todos os seus passos até a faculdade.

Quando Daniela pegou catapora e ficou com a carinha toda inchada, Marcella perguntava todo dia quando é que a amiguinha voltaria para a escola. Elas tinham menos de 4 anos, mas Dani fazia questão de anotar lá do seu jeito tudo o que acontecia nas aulas, desenhava as “fofoquinhas” e ia juntando os pedacinhos de papel coloridos em uma bolsinha para depois entregar à amiga quando ficasse boa. As mães de ambas riam um bocado pelo telefone e se perguntavam se aquilo ia durar para sempre.

No Natal cada uma escolheu um presentinho para a outra e no carnaval elas combinaram a fantasia igual de odalisca mas com cores diferentes, e foi no primeiro bailinho, as duas já por volta dos 5 anos, que descobriram o poder destrutivo do ciúme e da fofoca. Uma prima um pouco mais velha da Marcella veio passar as férias de verão e logo tentou monopolizar a atenção. Dani, se sentindo isolada, pela primeira vez viu de longe a amiga brincando enquanto fitava sozinha a sua fantasia tão bonita. As bochechas ficavam vermelhas de vontade de chorar, mas as lágrimas só caíram quando ela entrou no carro. Jurou que nunca mais ia falar com a Marcella e fez um monte de malcriação quando chegou em casa. Nunca esperneou tanto na vida, e acabou dormindo com os olhinhos inchados.

Dois dias depois ela não quis ir na casa da amiga, mas na semana seguinte as aulas voltaram e a Marcella contou que a mamãe disse que era feio trocar uma amiga por outra. Ela pediu desculpa e disse que não tinha trocado não, que iam ser amigas para sempre. Dani fez biquinho, abriu e fechou a boca sem dizer nada, acabou só balançando a cabeça. Aí falou que ia ser redatora, para aprender a contar historinhas para Marcella na próxima vez que ficasse doente.

O tempo passou, aos 12 anos elas comemoraram 10 anos de amizade falando que era “uma vida inteira”, aos 16 se aborreceram porque Marcella achava o namorado da Daniela um bobalhão e aos 17 namoraram dois irmãos lindos que conheceram na viagem de férias. A essa altura já estudavam em escolas diferentes, de vez em quando uma perdia a outra de vista, mas logo arrumavam um jeito de se ver e contar as novidades.

Hoje, 20 anos depois, Marcella faz estágio em uma produtora de vídeo, Daniela faz aulas de Publicidade e, mesmo sem falarem, sabem que sempre terão uma à outra quando precisarem.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade