11 2155-9358
Institucional Blog Pesquisas CEP FJLES Cursos
Data inicial
Estágio Hospitais Boletins Releases Parcerias
Ícone Data Final
Busca rápida
Busca avançada
Institucional Voluntariado Parcerias Releases Boletins
Data inicial
Núcleos Cursos Estágios Hospitais Blog
Ícone Data final
Busca rápida
Busca avançada
habitos-saudaveis

Pesquisadores americanos analisaram os dados epidemiológicos para tentar entender porque os EUA têm uma expectativa de vida menor que outros países desenvolvidos

Para isso analisaram dados de cinco aspectos da vida de mais 50 mil pessoas, que haviam sido coletados de questionários validados regularmente e que pressupõe um estilo de vida saudável:

1- Sobre dieta;

2- Atividade física;

3- Peso corporal;

4- Tabagismo;

5- Consumo de álcool.

Apesar de lidarmos com crianças e estarmos preocupados com a saúde infantil, este artigo da Harvard Health blog sobre cinco chaves para uma vida mais longa e melhor me chamou a atenção, pois deveriam ser dicas a serem adotadas na infância e adolescência.

O que é um estilo de vida saudável, exatamente?

Essas cinco áreas foram escolhidas porque estudos anteriores demonstraram que elas têm um grande impacto no risco de morte prematura. Veja como esses hábitos saudáveis ​​foram definidos e medidos:

1- Dieta saudável: que foi calculada e classificada com base na ingestão de alimentos saudáveis ​​como vegetais, frutas, nozes, grãos integrais, gorduras saudáveis ​​e ácidos graxos ômega-3 e alimentos não saudáveis ​​como carnes vermelhas e processadas, adoçadas com açúcar bebidas, gordura trans e sódio;

2- Nível de atividade física saudável: que foi medido em pelo menos 30 minutos por dia de atividade moderada a vigorosa diária;

3- Peso corporal saudável:definido como um índice de massa corporal (IMC) normal, entre 18,5 e 24,9;

4- Fumar: bem, não há quantidade saudável de fumar. “Saudável” aqui significava nunca ter fumado;

5- Consumo moderado de álcool: medido entre cinco e 15 gramas por dia para mulheres e cinco a 30 gramas por dia para homens. Geralmente, uma bebida contém cerca de 14 gramas de álcool puro.

Os pesquisadores também analisaram os dados sobre idade, etnia e uso de medicamentos, bem como dados de comparação das Pesquisas Nacionais de Saúde e Nutrição e os Dados dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças para Pesquisa Epidemiológica.

Um estilo de vida saudável faz a diferença? Como se constata, os hábitos saudáveis ​​fazem uma grande diferença. De acordo com essa análise, as pessoas que preenchiam os critérios para todos os cinco hábitos tinham uma vida significativamente mais longa do que as que não tinham: 14 anos para mulheres e 12 anos para homens (se tivessem esses hábitos aos 50 anos). As pessoas que não tinham nenhum desses hábitos eram muito mais propensas a morrer prematuramente de câncer ou doenças cardiovasculares.

Os investigadores do estudo também calcularam a esperança de vida em quantos desses cinco hábitos saudáveis ​​as pessoas tinham. Apenas um (e não importava qual), e apresentava uma expectativa de vida estendida por dois anos em homens e mulheres. Não surpreendentemente, quanto mais hábitos saudáveis ​​as pessoas tivessem, maior a expectativa de vida.

Essa é uma daquelas situações em que eu gostaria de reimprimir seus gráficos para você, porque eles são tão legais. Isso é enorme. E confirma pesquisas anteriores semelhantes – muitas pesquisas anteriores semelhantes. Um estudo de 2017 usando dados do Health and Retirement Study descobriu que pessoas com 50 anos ou mais que estavam com peso normal, nunca haviam fumado e bebiam álcool com moderação, viveram em média sete anos a mais.

Uma mega-análise de 2012 de 15 estudos internacionais que incluiu mais de 500.000 participantes constatou que mais da metade das mortes prematuras foram devidas a fatores de estilo de vida não saudáveis, como má alimentação, inatividade, obesidade, ingestão excessiva de álcool e tabagismo. E a lista de pesquisas de apoio continua.

Então, qual é o nosso (grande) problema?

Como os autores deste estudo apontam, nos EUA nós tendemos a gastar muito no desenvolvimento de drogas sofisticadas e outros tratamentos para doenças, ao invés de tentar preveni-las. Isto é um grande problema.

Especialistas sugeriram que a melhor maneira de ajudar as pessoas a fazer uma dieta saudável e mudar o estilo de vida é em grande escala, a nível da população, através de esforços de saúde pública e mudanças políticas. (Tipo de capacetes para motociclistas e legislação sobre cinto de segurança …). Fizemos um pequeno progresso com a legislação sobre tabaco e gordura trans.

Há muito retorno da grande indústria nisso, é claro. Se tivermos diretrizes e leis que nos ajudem a viver de forma mais saudável, as grandes empresas não venderão tanto fast food, batatas fritas e refrigerantes. E para as empresas que se empenham em ganhar dinheiro à custa da vida humana, isso as deixa muito zangadas.

Creio que como pais devemos mirar nestas 5 chaves e oferecer para nossas crianças a oportunidade de terem uma dieta saudável, propiciarmos oportunidades de se exercitarem e terem atividade física, (para isso devemos desestimular o tempo de telas), controlarmos o peso deles indo ao pediatra com regularidade (com a dieta e exercício) e optando por um ambiente livre de tabaco e com uso restrito de álcool.

Devemos ser exemplo para eles evitando o uso de refrigerantes e bebidas adoçadas, frituras e gordura trans, além de oferecer refeições que não sejam fast food.

Saiba mais sobre hábitos saudáveis no blog do Hospital Infantil Sabará:

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fontes: https://www.health.harvard.edu/blog/healthy-lifestyle

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Avatar
Dr. José Luiz Setúbal
Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens Relacionadas