PESQUISAR

Residência Médica
Residência Médica
Importância do brincar: crianças criativas, curiosas e saudáveis!
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Importância do brincar: crianças criativas, curiosas e saudáveis!

Importância do brincar: crianças criativas, curiosas e saudáveis!

23/01/2019
  879   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

“O Poder da Brincadeira” recomenda que as crianças reduzam o estresse tóxico, construam relacionamentos parentais e melhorem o funcionamento executivo

Deixe-os brincar, de acordo com a Academia Americana de Pediatria (AAP). O relatório clínico da Academia Americana de Pediatria que aborda a importância do brincar.

A maneira mais poderosa que as crianças aprendem não é apenas nas salas de aula ou nas bibliotecas, mas nos playgrounds e nas salas de jogos, de acordo com a Academia Americana de Pediatria (AAP). De fato, neste novo relatório da AAP afirma: “A importância da aprendizagem lúdica para as crianças não pode ser super enfatizada”.

De acordo a AAP, a brincadeira infantil não é banal nem supérflua. Em vez disso, brincar é a maneira de construção do cérebro, uma parte central do desenvolvimento saudável da criança, uma chave para as habilidades das funções executivas e um amortecedor contra os impactos negativos do estresse. Além disso, o jogo constrói o vínculo entre pai e filho.

“Estamos recomendando que os médicos escrevam uma receita para brincadeiras, porque é muito importante”, disse o pediatra Michael Yogman, principal autor do relatório.

A importância do brincar, seja com pais ou colegas, é indiscutível para o desenvolvimento de um conjunto de habilidades do século 21, incluindo habilidades sociais, emocionais, linguísticas e cognitivas, todas necessárias para a próxima geração em um mundo economicamente competitivo que requer colaboração e inovação.

Os benefícios do jogo não podem realmente ser exagerados, em termos de atenuar o estresse, melhorar as habilidades acadêmicas e ajudar a construir as relações seguras, estáveis ​​e estimulantes que protegem contra o estresse tóxico e aumentam a resiliência sócio-emocional.

“O Poder do Jogo: Um Papel Pediátrico no Aprimoramento do Desenvolvimento em Crianças Pequenas” foi publicado na revista Pediatrics de setembro de 2018 e atualiza o anterior de 2007. A versão de 2018 inclui novas informações sobre os vínculos entre brincadeira e aprendizado, e a pesquisa que considera que a brincadeira é um amortecedor importante do estresse tóxico. A pesquisa forneceu numerosos exemplos da importância do jogo para o desenvolvimento saudável da criança.

Por exemplo, um estudo, crianças de três a quatro anos, ansiosas para entrar na pré-escola, ficaram duas vezes mais aliviadas do estresse quando permitiram brincar com professores ou colegas por 15 minutos, comparadas a colegas que ouviam um professor lendo uma história.

Pesquisas também descobriram que crianças pré-escolares com comportamentos disruptivos eram menos estressadas e menos perturbadoras quando o professor brincava com elas regularmente, uma a uma ao longo de um ano, em comparação com colegas que tinham interações de rotina.

No entanto, o recreio das crianças tem sido ameaçado por mudanças na sociedade. De 1981 a 1997, o tempo de recreação das crianças diminuiu em 25%, e 30% das crianças do jardim de infância não têm mais recesso, o que foi substituído por lições acadêmicas, de acordo com pesquisa publicada na Advances in Life Course Research.

Uma pesquisa nacional com nove mil crianças pré-escolares e pais encontrou que apenas pouco mais do que a metade das crianças saíam para passear ou brincar uma vez por dia com os pais. E as pesquisas demonstram que até 95% dos pais têm preocupações com a segurança de brincadeiras ao ar livre.

Apesar das pesquisas que ligam a televisão a televisão com um estilo de vida sedentário e maiores riscos de obesidade, o pré-escolar típico assiste 4,5 horas de televisão por dia nos EUA, de acordo com pesquisa de mídia.  O uso da mídia eletrônica, como televisão, vídeo games, smartphone e tablet, está fazendo parte cada vez maior do tempo as crianças. É preocupante quando a imersão em mídia eletrônica tira tempo para brincadeiras reais, seja ao ar livre ou em ambientes fechados.

Embora o engajamento ativo com a mídia apropriada para a idade possa ser benéfico para crianças mais velhas, especialmente se apoiado por co-assistir ou co-brincar com colegas ou pais, as interações sociais e brincadeiras em tempo real são superiores às mídias digitais.

A AAP recomenda que a aprendizagem seja melhor alimentada, facilitando a vontade natural da criança de brincar, e não através de motivações externas, como pontuações nos testes, e oferece várias dicas importantes para pais, pediatras e educadores:

Assim como os pediatras apoiam os programas “Alcance e Leia”, os médicos devem incentivar o aprendizado lúdico para pais e bebês, prescrevendo uma “receita para brincadeiras” em todas as visitas de crianças nos primeiros dois anos de vida.

A brincadeira começa cedo, nas primeiras semanas de vida e continua através do desenvolvimento de uma criança, para não dizer para o resto da vida. Novos pais devem observar e responder ao comportamento não-verbal dos bebês durante os primeiros meses de vida.

Por exemplo, quando um bebê sorri para você, sorria de volta. O esconder o rosto é outro jogo importante. Educadores, pediatras e famílias devem defender e proteger o jogo desestruturado e o aprendizado lúdico em pré-escolas e escolas por causa de seus inúmeros benefícios. Os professores devem concentrar-se na aprendizagem lúdica, em vez de didática, deixando que as crianças assumam a liderança e sigam sua própria curiosidade.

Da próxima vez que seu filho quiser brincar com você, diga sim. É uma das melhores partes de ser pai e uma das melhores coisas que você pode fazer pelo seu filho. O brincar ajuda as crianças a aprenderem habilidades de linguagem, matemática e sociais e reduz o estresse. A importância do brincar é clara tanto para as crianças quanto para os pais, já que compartilhar momentos alegres juntossó pode melhorar o relacionamento.

Saiba mais sobre este tema no blog do Hospital Infantil Sabará:

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Pediatrics, August 2018

From the American Academy of Pediatrics

The Power of Play: A Pediatric Role in Enhancing Development in Young Children

Michael Yogman, Andrew Garner, Jeffrey Hutchinson, Kathy Hirsh-Pasek, Roberta Michnick Golinkoff,

COMMITTEE ON PSYCHOSOCIAL ASPECTS OF CHILD AND FAMILY HEALTH, COUNCIL ON COMMUNICATIONS AND MEDIA

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

NOSSAS INICIATIVAS
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade