PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Sangue Borbulhante de Dragão
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Sangue Borbulhante de Dragão

Sangue Borbulhante de Dragão

04/02/2013
  735   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Um refresco para crianças bem-humoradas

refresco de melancia-3

Depois de umas rápidas férias, cá estou novamente e chego junto com as aulas.

Sentiram minha falta? Digam que sim, embora eu saiba muito bem que todos estavam ocupados demais, se divertindo na praia para notar meu desaparecimento providencial.

Foi uma pausa curtinha, mas desde lá muita coisa mudou: o mundo não acabou e meu filho agora tem 3 anos!

Engraçado que um mero detalhe como o número da idade faz diferença no comportamento da criança. Não falo de nada que ele tenha aprendido extraordinariamente de um dia para outro. Não, nada disso. Fato é que, desde que cantamos lá seus parabéns, o menino vive numa crise de ser-ou-não-ser-menino-grande. Diferente da descrita aqui, um pouco mais como um conflito existencial de quem quer comer na mesa com os adultos, mas não quer segurar os talheres porque “não sabe mais comer sozinho”.

Com tanta graça involuntária, não é de se admirar que seu senso de humor venha desenvolvendo-se muito bem, voluntariamente, o que é melhor ainda.

Outro dia estava ele lá, pós-dia de passeios cansativos chegando em casa num mau-humor característico de criança que não tirou soneca depois do almoço. Resmungava e gemia com o rosto cheio de lágrimas de crocodilo que escorriam pelos lados de seu enorme bico de descontentamento:

“Mãaaaaae, mamãaaaaaae”, ele chamava num tom arrastado que combinava com o movimento que fazia se jogando no chão “mãe, eu queeero um suuuuuco”.

“Filho, eu já te falei que chorando e fazendo manha você não consegue nada. Peça direito que eu te dou.”

Ele se levantou e me olhou com aquele olhar de menino levado que pretende aprontar alguma e soltou um rugido “MóoOOOooõe!”

“Que é isso, Tomás? Virou monstro?”

“MÓoõe, me dá um suco, pô favôoOOo?”, ele continuou no mesmo tom de voz rouco e grave, colocando suas “garrinhas” pra fora e correndo na minha direção para agarrar as minhas pernas.

Não pude deixar de rir diante de tal cena.

“Essa foi boa, não é?”, ele completou em seu tom de voz normal, e se juntou a mim na gargalhada.

E em ritmo de fim de férias, meio preguiçoso e calorento, deixo uma receita de sangue borbulhante de dragão – pra alimentar monstrinhos – muito refrescante e fácil de fazer.

Feliz 2013!

Refresco de Melancia e Hortelã
Adaptado do livro Homemade Soda, de Andrew Schloss

Rende 4 porções de 360ml

– 500g de melancia descascada, cortada em pedaços e descaroçada (na medida do possível);
– ¼ xícara de xarope de agave ou xarope de açúcar*;
– 1 punhado de folhas de hortelã pimenta;
– 2 colheres (sopa) de vinagre de vinho branco de boa qualidade;
– Aproximadamente 750ml de água com gás de sua preferência.

refresco de melancia-2

Coloque a melancia, xarope, hortelã e o vinagre em um liquidificador ou processador de alimentos (eu pessoalmente prefiro a segunda opção) e pulse até que esteja tudo bem misturado, com as folhas de hortelã bem trituradas e sem nenhum pedaço de melancia.

Coe a mistura e meça o volume de suco (deverá ter aproximadamente umas 3 xícaras). Acrescente a mesma quantidade de água com gás e sirva num copo com gelo.

Se quiser, pode guardar a mistura coada alguns dias na geladeira e ir misturando à água com gás aos poucos, sempre em proporções iguais em volume.

* Você pode encontrar xarope de agave na sessão de adoçantes naturais do supermercado ou fazer seu próprio xarope simples: coloque partes iguais de água e açúcar numa panela e leve a fogo médio. Mexa a mistura constantemente até que o açúcar esteja completamente dissolvido e transparente. Quando a mistura ferver, retire do fogo e deixe esfriar até temperatura ambiente. Guarde em um vidro e mantenha na geladeira por até 2 meses.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade