PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Crianças de 12 a 17 agora são elegíveis para serem vacinadas contra Covid-19, veja o que sabemos sobre as vacinas de Covid para crianças.
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Crianças de 12 a 17 agora são elegíveis para serem vacinadas contra Covid-19, veja o que sabemos sobre as vacinas de Covid para crianças.

Crianças de 12 a 17 agora são elegíveis para serem vacinadas contra Covid-19, veja o que sabemos sobre as vacinas de Covid para crianças.

02/06/2021
  386   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Aqui no Brasil ainda estamos longe de vacinar os adultos, mas nos Estados Unidos, já se iniciou a vacinação de adolescentes para Covid 19. Com as crianças indo para escolas, vivo sendo perguntado sobre a vacina de Covid para crianças e adolescentes. Agora que as crianças de 12 a 17 são elegíveis, podemos responder algumas perguntas comuns sobre os jovens e a vacina baseado no que já foi publicado sobre as vacinas já testadas.

  1. Quais vacinas foram autorizadas para crianças?

Até o momento, a Food and Drug Administration , a “ANVISA americana”, concedeu autorização de emergência apenas para a vacina Pfizer-BioNTech para jovens de 12 a 17 anos. A vacina foi autorizada para uso em jovens de 16 e 17 anos desde dezembro, embora na maioria dos estados, a elegibilidade para adolescentes mais velhos foi adiada até abril. Em maio, crianças de 12 a 15 anos se tornaram elegíveis para a injeção da Pfizer. Duas outras vacinas provavelmente receberão autorização de emergência para crianças nos próximos meses. A Moderna está testando sua vacina em 3.000 crianças de 12 a 17 anos e pode ter resultados para essa faixa etária em semanas.

  1. Quando as crianças mais novas serão elegíveis?

As crianças mais novas provavelmente serão elegíveis até o final do ano. A Pfizer planeja buscar autorização de emergência em setembro para crianças entre 2 e 11 anos, e os resultados do ensaio clínico da Moderna em crianças de até 6 meses são esperados até o final do ano. As vacinas provavelmente estarão disponíveis para crianças de 5 a 11 anos no final de 2021, e para bebês acima de 6 meses, crianças e pré-escolares no início de 2022.

  1. A quantidade de vacina administrada a crianças é diferente da dos adultos?

A dosagem da vacina Pfizer autorizada para adolescentes de 12 a 17 anos é idêntica à dosagem administrada a adultos: duas doses de 30 microgramas cada, administradas com três semanas de intervalo. É possível que, quando a vacina Pfizer for autorizada para crianças ainda mais novas, ou quando Moderna e Janssen concluírem a pesquisa de suas vacinas, as doses recomendadas sejam diferentes das administradas a adultos. O ensaio Moderna, por exemplo, está estudando diferentes estratégias de dosagem em 6.750 crianças saudáveis ​​nos Estados Unidos e Canadá.

  1. Onde posso vacinar meu filho?

No momento só os Estados Unidos estão vacinando adolescentes acima de 12anos.

  1. Os efeitos colaterais são diferentes para crianças e adultos?

As febres foram ligeiramente mais comuns em jovens de 12 a 15 anos em comparação com os adultos, mas, em geral, os efeitos colaterais relatados em crianças foram semelhantes aos observados em pessoas mais velhas. O FDA declarou que os efeitos colaterais mais comumente relatados nos adolescentes participantes do ensaio clínico foram dor no local da injeção, cansaço, dor de cabeça, calafrios, dores musculares, febre e dores nas articulações. Os efeitos colaterais geralmente duram de um a três dias. Embora a dor no local da injeção fosse comum após as duas injeções, mais adolescentes relataram efeitos colaterais após a segunda dose do que após a primeira. Em geral, as pessoas mais jovens tendem a ter uma resposta imunológica mais poderosa do que as pessoas mais velhas porque têm um sistema imunológico mais robusto. É possível que as crianças experimentem mais efeitos colaterais do que os pais na mesma vacina.

  1. Uma criança com alergia pode tomar a vacina?

As crianças não devem tomar a vacina Pfizer se tiverem histórico de reação alérgica grave a qualquer ingrediente (como o polietilenoglicol) da vacina. As alergias aos ingredientes da vacina são raras. Você pode encontrar uma lista completa dos ingredientes aqui. A vacina não contém ovos, conservantes ou látex. Se você tiver dúvidas ou não tiver certeza, converse com seu pediatra antes de vacinar seu filho.

Se seu filho tem alergia severa a qualquer outra coisa (medicamentos, alimentos, abelhas), planeje permanecer no local da vacinação por 30 minutos, em vez dos 15 minutos que a população em geral recomenda esperar.

  1. Posso dar paracetamol ao meu filho para minimizar os efeitos colaterais da vacina?

Você não deve dar a seu filho um analgésico antes de ser vacinado. E não aplique logo após a injeção para evitar efeitos colaterais. Espere para ver se os sintomas se desenvolvem e se a criança expressa desconforto antes de dar paracetamol ou ibuprofeno. Estudos mostram que muitos pais cometem o erro de dar aos filhos analgésicos sem receita antes das vacinas infantis na esperança de reduzir os efeitos colaterais. Mas atenuar os efeitos colaterais da pré-medicação também pode prejudicar a eficácia da vacina. Se o seu filho desenvolver dor de cabeça, dores no corpo ou outros efeitos colaterais que requeiram alívio da dor, não há problema em dar a ele a dose recomendada de um analgésico de venda livre.

  1. As escolas podem exigir vacinas Covid para os alunos?

A resposta depende se seu filho frequenta uma escola pública ou privada. Nos EUA as escolas particulares, creches e acampamentos podem decidir se exigem que os alunos sejam vacinados contra a Covid-19 como condição para retornar à escola ou às instalações. Até agora, mais de 100 faculdades anunciaram que exigirão vacinas antes que os alunos possam ir para o campus no outono do hemisfério norte.

  1. Este tipo de vacina já foi usado em crianças? Como funciona?

As vacinas Pfizer e Moderna usam algo chamada tecnologia de mRNA – o “m”significa mensageiro. Pense na molécula de mRNA como um conjunto de instruções. Enquanto uma vacina tradicional como a Coronavac ou a Oxford bionthec usa um germe enfraquecido ou inativado para desencadear uma resposta imunológica em nossos corpos, as vacinas de mRNA carregam um conjunto de instruções para ensinar nossas células a fazer uma proteína que irá desencadear uma resposta imunológica e produzir anticorpos contra o vírus.

Embora a tecnologia de mRNA tenha sido estudada por cerca de 15 anos, esta é a primeira vez que ela é usada em uma vacina. Também está sendo estudado para tratar câncer, distrofia muscular e outras doenças.

  1. Quantas crianças foram estudadas nos ensaios clínicos e por quanto tempo?

O estudo que levou à autorização de uso emergencial da vacina Pfizer para crianças começou em março. O estudo envolveu 2.260 participantes com idades entre 12 e 15 anos. Dessas crianças, 1.131 receberam a vacina (duas injeções, administradas com três semanas de intervalo) e 1.129 receberam injeções de placebo com solução salina. A vacina funcionou ainda melhor em crianças do que em adultos. Nenhuma criança do grupo da vacina adoeceu com Covid-19, enquanto 18 crianças do grupo do placebo adoeceram. A empresa ainda está coletando informações, incluindo testes de coronavírus nos participantes do ensaio a cada duas semanas.

Além dos ensaios clínicos, as autoridades de saúde continuam a coletar informações sobre 3,76 milhões de jovens nos Estados Unidos com idades entre 12 e 17 anos que receberam pelo menos uma dose da injeção da Pfizer, de acordo com dados do CDC.

A vacina contra a Covid-19 conhecida como vacina de Oxford, desenvolvida pela farmacêutica britânica AstraZeneca e a Universidade de Oxford, será testada em crianças a partir dos seis anos de idade. Essa é a primeira vez que os pesquisadores realizarão testes da vacina nesta faixa etária. Nesta primeira etapa de testes, serão avaliadas a segurança e as respostas imunológicas em crianças e adolescentes de seis a 17 anos. Deverão se inscrever 300 participantes, sendo que 240 receberão a vacina. As primeiras vacinações do ensaio clínico acontecerão neste semestre na Inglaterra.

A vacina Coronavac, produzida em conjunto pela empresa chinesa Sinovac Biotech e Instituto Butantan, no Brasil, parece ser segura e capaz de desencadear respostas imunológicas em crianças e adolescentes, revelaram resultados preliminares de testes realizados na China. A notícia foi divulgada por Zeng Gang, pesquisador da empresa e compartilhada pela agência de notícias Reuters em março de 2021. Segundo informações preliminares de testes clínicos realizados na China, crianças de 3 a 11 anos precisaram de apenas metade da dose para ficarem protegidas. Os resultados serão apresentados à Anvisa para avaliar se serão necessários testes adicionais no Brasil.

  1. O que sabemos sobre os efeitos de longo prazo dessas vacinas em corpos em crescimento?

Os cientistas têm apenas cerca de seis meses de dados sobre a vacina em adultos e adolescentes mais velhos e alguns meses de dados sobre crianças pequenas. Mas dado que a molécula de mRNA da vacina imita um processo humano natural, os especialistas dizem que estão confiantes de que as vacinas são seguras para corpos em crescimento.

  1. Dado o baixo risco de Covid para crianças, por que não esperar mais dados para vacinar meu filho?

Embora as crianças tenham menos probabilidade de desenvolver doenças graves causadas pela Covid-19, elas ainda estão em risco. No inverno passado, os médicos relataram um número crescente de pacientes com Síndrome Inflamatória Multissistêmica em Crianças, ou MIS-C, uma condição ligada à Covid que pode afetar vários órgãos, incluindo o coração.

O risco de seu filho pegar Covid e ficar muito doente é baixo, mas não é zero. E o risco de ficarem doentes, hospitalizados ou com Covid ou com a síndrome multiinflamatória pós-Covid é maior do que o risco de algo ruim com esta vacina.

Saiba mais:

 

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade