PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Especial Cuidados de Verão: sol, mar e proteção
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Especial Cuidados de Verão: sol, mar e proteção

Especial Cuidados de Verão: sol, mar e proteção

16/11/2011
  2072   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

O verão está perto e é hora de aproveitar a praia, o mar, a piscina e brincar muito com suas crianças, não é mesmo? Mas alguns cuidados devem ser tomados com os pequenos, por isso, o Hospital Infantil Sabará preparou o especial “Cuidados de Verão”, com as principais dúvidas sobre a proteção dos filhos nesta época do ano. Não perca, a partir de hoje e nas próximas duas quartas de novembro (23 e 30), as principais recomendações de como cuidar melhor dos pequenos.

Hoje, você confere algumas recomendações para o passeio à praia:

A partir de quando a criança pode ir à praia?

A partir do segundo mês de vida é possível levar o bebê para passear no calçadão, por exemplo, mas em horários alternativos, quando o sol está fraco (antes das 10h e depois das 16h).

A partir de quando a criança pode entrar no mar ou piscina?

A partir do quarto mês os bebês podem entrar na piscina, mas sempre acompanhados dos pais e/ou de um adulto. Opte pelas aquecidas para que eles possam se acostumar com mais facilidade. brincar no mar, o ideal é após os 12 meses. Observe antes as condições de limpeza da água. Com seis meses, porém, os pequenos podem frequentar a praia, desde que em horários determinados (antes das 10h e após às 16h), em períodos curtos, sempre protegidos pelo guarda-sol, ingerindo com frequência água para evitar a desidratação.

Com que idade o bebê pode usar protetor solar?

Somente após os seis meses é que os bebês podem usar o protetor solar. A pele deles, nos primeiros meses de vida, é mais fina que a dos adultos, o espaço entre as células é maior, o que facilita a perda de água e a entrada de substâncias estranhas. O pH também é menos ácido (o normal da pele é entre 4,5 e 5,5, e nos pequenos fica por volta de 6,0, igualando-se à pele do adulto por volta de um ano) e como tem menos anexos (glândulas e pelos), outras funções são prejudicadas. Sendo assim, qualquer produto poderá causar irritações, alergias e até intoxicação.

Após os seis meses, os protetores infantis são liberados. Opte por aqueles testados dermatologicamente e com proteção UVB e UVA. também os hipoalergênicos para crianças alérgicas. Aliás, é importante lembrar do guarda-sol com tecido grosso, boné, camiseta, evitar lugares que refletem luz, preferir horários de sol mais baixo e ingerir água e sucos com frequência para evitar desidratação.

Leia também: Especial Cuidados de Verão: tome conta da saúde das crianças

Qual o papel da vitamina D na saúde da criança?

O organismo possui o colecalciferol, substância que vem da alimentação (gema de ovo, por exemplo), só que ela fica adormecida e precisa dos raios ultravioletas para ganhar forma ativa e se transformar em vitamina D. Este elemento nutritivo favorece a absorção de cálcio e fósforo e auxilia, no caso das crianças principalmente, no crescimento e desenvolvimento de ossos e dentes sadios. Os pequenos que moram em lugares sem sol podem sofrer de raquitismo. Alguns minutos por dia são fundamentais, mas é bom sempre lembrar de que se deve aproveitá-los antes das 10h e após às 16h.

Saiba mais sobre a Vitamina D

Que cuidados devem ser tomados ao levar a criança para a praia?

Além da proteção a partir dos seis meses, é importante usar barreiras físicas contra o sol (guarda-sol, boné ou chapéu, camiseta com tecidos leves), hidratar as crianças, dando água, sucos, frutas etc. O contato com a areia deve ser evitado antes de um ano, afinal a praia é suja e os pequenos gostam de levar tudo à boca. É preciso também ficar de olho para evitar acidentes: afogamentos no mar e na piscina, queimaduras por água viva etc.

Leia também: Especial Cuidados de Verão: fique atento à exposição ao sol

Atualizado em 7 de fevereiro de 2024

Dra. Fátima Fernandes

Dra. Fátima Fernandes

Diretora Executiva do Instituto PENSI. Graduada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, com Residência Médica em Pediatria pelo Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo. É mestre em Alergia e Imunologia pela Universidade Federal de São Paulo e possui MBA em Gestão em Saúde pelo IBMEC.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.