PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Quando é mais do que apenas um resfriado?
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Quando é mais do que apenas um resfriado?

Quando é mais do que apenas um resfriado?

27/09/2022
  138   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Pelo menos duas vezes ao ano as pediatrias dos hospitais ficam superlotadas, as filas dos prontos-socorros atingem horas de espera e achar uma vaga é uma luta. Tudo isso ocorre por causa do Vírus Sincicial Respiratório (VSR), que ocorre em São Paulo geralmente de março a julho e de outubro a novembro.

Quase todas as crianças contraem o VSR pelo menos uma vez antes dos dois anos de idade. Para a maioria das crianças saudáveis, o vírus é como um resfriado, mas algumas ficam muito doentes.

O VSR é um dos muitos vírus que causam doenças respiratórias – doenças do nariz, garganta e pulmões. Ele ocorre no final do outono até o início da primavera, mas pode variar em diferentes partes do país.

Com o uso de máscaras e distanciamento físico para a covid-19, houve menos casos em 2020 e 2021. No entanto, uma vez que as medidas de segurança foram relaxadas com a chegada das vacinas para covid-19, um aumento nos casos de VSR começou no ano de 2022.

Normalmente, o VSR causa um resfriado, que pode ser seguido por bronquiolite ou pneumonia. Os sintomas geralmente duram, em média, de cinco a sete dias.

Gripe: Infecção do Trato Respiratório Superior

Bronquiolite: Infecção do Trato Respiratório Inferior

Os sintomas podem incluir:

  • Febre (temperatura de 38º ou superior);
  • Tosse (som seco ou molhado);
  • Congestionamento;
  • Espirros;
  • Coriza;
  • Agitação;
  • Má alimentação.

Além desses sintomas de resfriado, podem incluir:

  • Respiração rápida;
  • Alargamento das narinas;
  • Cabeça balançando com a respiração;
  • Grunhidos rítmicos durante a respiração;
  • Respiração da barriga, puxando entre as costelas e/ou puxando a parte inferior do pescoço.

Qual a dificuldade de respiração do seu bebê? Saiba o que procurar.

As retrações da parede torácica ocorrem quando um bebê deve usar os músculos entre as costelas ou no pescoço para respirar. É um sinal de que o bebê está tendo que trabalhar mais do que o normal para respirar.

Observe a caixa torácica do seu filho(a) enquanto ele(a) inala. Se você perceber que está “desmoronando” e formando um “V” de cabeça para baixo sob o pescoço, então ele(a) está trabalhando demais.

Aqueles bebês com maior risco de infecção grave por VSR incluem:

  • 12 semanas de idade ou menos no início da temporada de VSR;
  • Recém-nascidos prematuros ou com baixo peso (especialmente aqueles nascidos antes de 29 semanas de gestação);
  • Doença pulmonar crônica da prematuridade;
  • Bebês com certos tipos de defeitos cardíacos;
  • Aqueles com sistema imunológico fraco devido a doenças ou tratamentos.

Fatores de risco adicionais para infecções graves por VSR incluem baixo peso ao nascer, ter irmãos, a mãe fumar durante a gravidez, exposição ao fumo passivo em casa, história de alergias e eczema, não amamentar e estar perto de crianças em uma creche ou viver em condições de vida lotadas.

Quando você deve procurar o médico?

 Os sintomas do VSR são tipicamente piores do terceiro ao quinto dia. Felizmente, é uma doença autolimitada e quase todas as crianças se recuperam da infecção por conta própria. Ligue para o seu pediatra imediatamente se o seu filho(a) tiver:

  • Sintomas de bronquiolite (listados acima);
  • Sintomas de desidratação (menos de uma fralda molhada a cada oito horas);
  • Pausas ou dificuldade para respirar;
  • Cor cinza ou azul na língua, lábios ou pele;
  • Diminuição significativa da atividade e do estado de alerta.

Algumas crianças com VSR podem ter um risco aumentado de desenvolver uma infecção bacteriana, como uma infecção no ouvido. Ligue para o seu médico se o seu filho(a) tiver:

  • Sintomas que pioram ou não começam a melhorar após sete dias;
  • Uma febre alta e se têm menos de três meses de idade (12 semanas);
  • Sono ruim ou agitação, dor no peito, puxões de orelha ou drenagem de ouvido.

Como os médicos diagnosticam o VSR?

 Os pediatras diagnosticam crianças com resfriado ou bronquiolite perguntando sobre seus sintomas e fazendo um exame físico. Seu pediatra pode fazer um teste de swab nasal para determinar se seu filho(a) tem VSR ou outro vírus. Uma radiografia de tórax e/ou teste de saturação de oxigênio também podem ser feitos para verificar se há congestão pulmonar. Como a maioria das crianças se recupera sem dificuldade e porque não há tratamento para o VSR, esses exames geralmente não são necessários.

O VSR é contagioso?

 Sim. Ele se espalha como um vírus de resfriado comum – de uma pessoa para outra. Entra no corpo através do nariz ou dos olhos ou, geralmente, a partir de:

  • Contato direto de pessoa para pessoa com saliva, muco ou secreção nasal;
  • Mãos sujas (o VSR pode sobreviver 30 minutos ou mais com as mãos não lavadas);
  • Objetos ou superfícies impuros (o VSR pode sobreviver até seis horas em superfícies, brinquedos, teclados, maçanetas etc.);
  • Os sintomas podem aparecer de dois a oito dias após o contato com o VSR. De acordo com os Centros dos EUA para Controle e Prevenção de Doenças (CDC), as pessoas infectadas com VSR geralmente são contagiosas por três a oito dias. No entanto, alguns bebês e pessoas com sistema imunológico enfraquecido podem ser contagiosos por até quatro semanas – mesmo que não apresentem sintomas.

Lembre-se de que crianças e adultos podem obter VSR várias vezes, mesmo durante uma única temporada. Na maioria, no entanto, as infecções repetidas são menos graves do que a primeira. Não há cura para o VSR e medicamentos, como esteroides e antibióticos, não ajudam contra o vírus. Para ajudar seu filho(a) a se sentir mais confortável, comece fazendo o que você faria para qualquer resfriado:

  • Solução salina nasal com sucção suave para facilitar a respiração e a alimentação;
  • Umidificador de névoa fria para ajudar a quebrar o muco e permitir uma respiração mais fácil;
  • Líquidos e alimentação frequente. Certifique-se de que seu filho(a) está se mantendo hidratado(a). Os bebês com resfriado comum podem se alimentar mais lentamente ou não sentir vontade de comer, pois estão com dificuldade para respirar. A suplementação com água ou fórmula é desnecessária para bebês amamentados. Se for difícil para o bebê mamar no peito, ordenhar o leite materno em um copo ou mamadeira pode ser uma opção;
  • Sintomáticos (antitérmicos) para ajudar com febres baixas. Sempre evite aspirina e medicamentos para tosse e resfriado.

Apenas 3% das crianças com VSR necessitarão de internação hospitalar. Essas crianças podem precisar de oxigênio para ajudar na respiração ou uma linha intravenosa (intravenosa) para fluidos. A maioria dessas crianças pode ir para casa depois de dois ou três dias. Raramente, uma criança pode precisar de cuidados em uma unidade de terapia intensiva pediátrica (UTIP).

Como você pode proteger seus filhos do VSR?

Lave suas mãos! Assim como você faria para evitar germes a qualquer momento, use água e sabão e esfregue por, pelo menos, 20 segundos. Lembre as crianças de praticarem uma boa higiene das mãos durante todo o ano.

Vacinar. Mantenha seus filhos em dia com as imunizações e tome a vacina da gripe anual (isso vale para toda a família). Vacinar-se com Tdap -para se proteger contra a coqueluche é especialmente importante para adultos que estão perto de bebês: pais, avós, babás etc. Seu filho(a) também deve ser imunizado(a) contra a covid-19 se for elegível.

Limite a exposição do seu bebê a multidões, outras crianças e qualquer pessoa com resfriado. Mantenha-os em casa longe da escola ou creche quando estiverem doentes e ensine-os a cobrir a tosse e os espirros.

Fique livre de germes. Desinfete objetos e superfícies em sua casa regularmente e evite expor seu filho(a) à fumaça do tabaco ou de outras substâncias.

Aleitamento materno. Possui anticorpos únicos para prevenir e combater infecções.

A medicina está sempre avançando! Atualmente, os cientistas estão estudando vacinas para prevenir e medicamentos para tratar o VSR. Podemos ter mais opções no futuro! Enquanto isso, tenha certeza de que a maioria das crianças se recupera bem do VSR e se torna um adulto saudável.

Fonte:

Seção sobre Doenças Infecciosas (Copyright © 2018 American Academy of Pediatrics)

Saiba mais:

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.