PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Vegetarianismo na infância e adolescência
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Vegetarianismo na infância e adolescência

Vegetarianismo na infância e adolescência

05/02/2024
  704   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

O vegetarianismo na infância e adolescência é um tópico que tem ganhado cada vez mais destaque nas escolhas alimentares familiares e inúmeros são os motivos que têm levado a isso, como preocupação com o meio ambiente, crenças religiosas, desejo de ter um estilo de vida mais saudável e tradições culturais.

Muitas dúvidas surgem ao optar por esse tipo de dieta: se o crescimento será adequado, se ele(a) receberá as vitaminas e minerais necessários, se o consumo de proteína estará correto, como adaptar-se a condições econômicas e ao custo da alimentação e como diversificar a dieta diante dessa restrição.

Entendendo as escolhas alimentares

Antes de conversarmos sobre os detalhes nutricionais, é importante compreender que existem diferentes classificações de acordo com o produto de origem animal que é restrito na dieta:

  • Ovolactovegetariano: exclui carne, frango, peixes e frutos do mar e consome leite e derivados e ovos;
  • Lactovegetariano: exclui ovos, carne, frango, peixes e frutos do mar e consome leite e derivados;
  • Ovovegetariano: exclui leite e derivados, carne, frango, peixes e frutos do mar e consome ovos;
  • Pesco-vegetariano: exclui carne e frango e consome peixes e frutos do mar, podendo consumir ou não, leite e derivados e ovos;
  • Flexitariano: consome, ocasionalmente e em pequenas porções, carnes, peixes e frutos do mar;
  • Vegano: não utiliza qualquer alimento derivado de animais, nem produtos ou roupas, e exclui carne, frango, peixes e frutos do mar, ovos e leite e derivados.

Nutrientes essenciais

Crianças vegetarianas tendem a consumir mais frutas e vegetais, menos doces e salgadinhos nos lanches e menos gordura total e gordura saturada. No entanto, não consumir produtos de origem animal pode contribuir para uma menor ingestão de ferro, vitamina B12, cálcio, zinco e ômega 3. O risco de deficiências é maior quanto mais restrita a dieta, especialmente a dieta vegana. A suplementação de vitamina B12 é imprescindível para crianças vegetarianas e veganas de qualquer idade. Outro elemento de especial cuidado é o ferro, pela grande dificuldade de se conseguir quantidades suficientes de ferro em alimentos vegetais.

Crescimento e desenvolvimento

Uma dieta vegetariana equilibrada é capaz de promover o crescimento e adequado nas crianças e adolescentes. Estudos já mostraram que eles têm um crescimento e desenvolvimento dentro da normalidade. Contudo, por serem mais vulneráveis a desenvolver deficiência de nutrientes, devem ser rigorosamente monitoradps.

Orientações importantes para alimentação de famílias vegetarianas:

  • Mães vegetarianas amamentando devem ter especial atenção ao consumo de fontes boas e adequadas de ferro, zinco, folato, ômega 3 e vitamina B12, por isso, é de extrema importância fazer seguimento nutricional nesta fase;
  • Na impossibilidade do aleitamento materno, a opção são as fórmulas à base de proteína hidrolisada de arroz, ou, para maiores de 6 meses, proteína isolada de soja;
  • Em relação à introdução alimentar, as orientações são as mesmas de bebês não vegetarianos;
  • Devem incluir e variar o consumo de leguminosas como feijão, lentilha, grão de bico e ervilha, pois estes serão a principal fonte de proteína de origem vegetal;
  • Oferecer sempre uma fruta após o almoço e jantar, de preferência uma fruta cítrica, rica em vitamina C, para aumentar a absorção de ferro;
  • Na adolescência, as necessidades de muitos nutrientes aumentam, especialmente de proteínas, ferro, zinco e cálcio; junto com isso, há um aumento na velocidade de crescimento. Dessa forma, é importante garantir que adolescentes vegetarianos e veganos tenham acompanhamento de um pediatra ou hebiatra e nutricionista infantil, para ser orientado(a) quanto a estratégias para aumentar a ingestão desses nutrientes.

A Importância do acompanhamento profissional

Optar por uma dieta vegetariana ou vegana para sua família pode ser uma escolha saudável e ética. Com planejamento cuidadoso e o acompanhamento regular e adequado de um pediatra e nutricionista infantil, é possível fornecer todos os nutrientes essenciais para o crescimento e desenvolvimento saudável de seus filhos, mas isso geralmente requer recursos socioeconômicos e operacionais.

Fontes:

FEWTRELL, M. et al. Complementary feeding: A position paper by the European Society for Paediatric Gastroenterology, Hepatology, and Nutrition (ESPGHAN) committee on nutrition. Journal of Pediatric Gastroenterology and Nutrition, v. 64, n. 1, p. 119–132, 2017.

REDECILLAS-FERREIRO, S.; MORÁIS-LÓPEZ, A.; MORENO-VILLARES, M. Position paper on vegetarian diets in infants and children. Committee on Nutrition and Breastfeeding of the Spanish Paediatric AssociationAn Pediatr (Barc). [s.l: s.n.]. Disponível em: <www.analesdepediatria.org>.

KONSTANTYNER, T. et al. ARTIGO DE REVISÃO CONSENSO DO ILSI BRASIL SOBRE VEGETARIANISMO NOS PRIMEIROS CINCO ANOS DE VIDA: REPERCUSSÕES NA SAÚDE, MANEJO E RECOMENDAÇÕES. 05 CONFLITOS DE INTERESSE. [s.l: s.n.].

Artigo escrito por

Dra. Jéssica Jacinto Salviano Fernandes de Almeida

Médica Pediatra Residente de Nutrologia Pediátrica da UNIFESP/EPM

Estagiária do Centro de Excelência em Nutrição e Dificuldades Alimentares (CENDA) do Instituto PENSI

Comunicação PENSI

Comunicação PENSI

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.