PESQUISAR

Residência Médica
Residência Médica
Dicas para lidar com um novo bebê durante a Covid-19
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Dicas para lidar com um novo bebê durante a Covid-19

Dicas para lidar com um novo bebê durante a Covid-19

20/05/2020
  217   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

O mundo parou por causa do coronavírus, mas muita coisa continua acontecendo, e uma delas é que bebês continuam nascendo. E como lidar com um novo bebê neste novo mundo? Como pediatra diria que nada mudou, mas vamos fazer algumas reflexões a seguir.

Todos os bebês choram. A maioria dos bebês chora muito de duas semanas a dois meses de idade. Alguns choram mais que outros, e alguns choram ainda mais que outros. Para muitos pais novos, o choro é uma das partes mais estressantes de lidar com um recém-nascido. Este choro nas fases iniciais está geralmente associado à cólica do recém-nascido e tem pouca coisa a ser feita, a não ser paciência.

Em alguns casos, o estresse extremo e um lapso temporário de controle emocional em um cuidador podem levar a ações que resultam em traumatismo craniano abusivo. De fato, o gatilho mais comum para traumatismo craniano abusivo é simplesmente um bebê chorando.

A Academia Americana de Pediatria divulgou uma declaração de política sobre os aspectos médicos do traumatismo craniano abusivo e ressalta que ações que levam a traumatismo craniano abusivo geralmente são o resultado de quando os cuidadores sofrem estresse e chegam ao fim de sua paciência.

Talvez nestes momentos de isolamento ter um nenê chorando seja muito estressante e, geralmente, os novos pais podem procurar apoio social e ajuda externa – mas o que acontece agora, quando todos somos restringidos em nossos movimentos e contatos? O que acontece quando os avós não podem vir ajudar, ou quando os vizinhos não param para tomar uma xícara de café? O que acontece quando as famílias são atingidas por súbita perda de emprego, perda de creche e outras restrições resultantes da pandemia de Covid-19? Aqui estão algumas sugestões:

Experimente todos os truques suaves. Bebês chorando querem ser acalmados. Você pode precisar tentar algumas coisas várias vezes antes que elas se acalmem. Tente segurá-los, alimentá-los, envolvê-los, balançando-os gentilmente, cantando para eles. Se isso não funcionar, abaixe o bebê e faça uma pausa. Verifique se o bebê está em um ambiente seguro para dormir (de costas em uma superfície firme com um lençol apertado, longe de cobertores macios, brinquedos, travesseiros e outros materiais de cama). Enquanto alguns bebês choram por muito tempo, muitos pais ficam surpresos com a rapidez com que os bebês choram para dormir.

Preste atenção às suas próprias necessidades. Os desafios das novas mães certamente podem parecer esmagadores, às vezes. Descanse o máximo que puder – tente dormir quando o bebê descansar. Encontre tempo para si mesma quando seu parceiro ou outro adulto atencioso assistir o bebê. Coloque os fones de ouvido, ligue para um amigo ou parente, tome uma xícara de chá ou apenas relaxe.

Conecte-se com outras pessoas. O distanciamento social durante o surto de Covid-19 pode ser muito solitário. Experimente bate-papos por vídeo ou mídias sociais para manter contato. Se você é um amigo ou parente no final do recebimento dessas chamadas, ouça primeiro antes de oferecer sugestões. Imagine que você está com o jovem pai, ele está chorando no seu ombro e você está oferecendo tranquilidade sem palavras. Manter essa imagem em mente pode ajudá-lo a fornecer o apoio social de que todos os novos pais precisam.

Use seus “ajudantes”.  Envolva os irmãos mais velhos o máximo que puder, incentivando-os a serem seus ajudantes especiais, para que eles possam ajudar de maneiras apropriadas ao desenvolvimento.

Procure ajuda. A depressão é a doença mental mais comum nos dias atuais. Se você já teve histórico de depressão antes do nascimento do bebê, pode estar em maior risco de depressão pós-parto. Fale com o seu médico, mais cedo ou mais tarde, para ajudar a prever essa condição potencial. Muitos médicos, enfermeiros e profissionais de saúde mental estão agora prontos para visitas de telessaúde e podem ajudá-lo por vídeo ou telefone.

Solidariedade. Se você é amigo, parente ou vizinho de uma família com um recém-nascido, este é o momento de entrar em contato. Pense em maneiras pelas quais você pode ajudar. Além do apoio social, você pode comprar fraldas ou outros suprimentos para bebês? Você pode deixar alimentos ou guloseimas para os irmãos ou adultos? Você pode supervisionar com segurança as crianças mais velhas ao ar livre? Talvez eles possam acompanhá-lo quando você passear com o cachorro!

Ajude um colega de trabalho. Se você é colega de trabalho de um dos pais que retorna ao trabalho (especialmente durante o distanciamento social) após a licença dos pais, seja gentil e solidário. Se você vir ou ouvir o bebê na ligação, diga Olá!

Encontre um fórum. As novas mães podem achar útil discutir suas experiências com outras novas mães. Além de procurar ajuda de amigos, parentes, vizinhos e profissionais médicos, procure fóruns de discussão e comunidades de mães dedicadas a compartilhar problemas, histórias e dicas on-line.

Seu pediatra está aqui para ajudar. Nunca hesite em pedir conselhos. Seu pediatra é um excelente recurso para entender seu bebê e suas próprias necessidades, incluindo aquelas relacionadas à depressão pós-parto.

Fonte: Academia Americana de Pediatria (Copyright © 2020)

Saiba mais:

Febre infantil: qual é a temperatura normal do corpo?

Calendário vacinal em tempos de coronavírus

Cólicas do bebê: saiba causas e como evitá-las

Teleconsulta de urgência

Teleconsulta com especialista

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

NOSSAS INICIATIVAS
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade