PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
O cinema como indutor do tabagismo
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
O cinema como indutor do tabagismo

O cinema como indutor do tabagismo

20/09/2012
  478   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Estudos afirmam que adolescentes começam a fumar inspirados em personagens cinematográficos

Cinema e Tabagismo

Quem gosta de cinema, especialmente os jovens que são grandes fãs, já deve ter reparado como alguns personagens fumam. Em antigas obras cinematográficas, o tabagismo é mais intenso. Não é dos dias de hoje comentar sobre esse comportamento que, aliado à propaganda, estimula os telespectadores a fumar. A edição de agosto da revista Pediatrics, apresentou um interessante estudo sobre a influência do cinema como fator responsável pelo início do interesse pelo cigarro em adolescenteces.

Outros estudos já demonstraram que o interesse pelo cigarro por parte do público jovem acontece por intermédio do contato com filmes direcionados a eles. O “Influence of Motion Picture Rating on Adolescent Response to Movie Smoking” examinou se a causa do interesse dos adolescentes em fumar, em comparação ao comportamento dos adultos, é provocada, principalmente, por causa das obras cinematográficas.

O autor desse estudo fez a pesquisa com 6.522 adolescentes, com idades entre 10 a 14 anos, a cada oito meses, durante o período de dois anos. O grupo de jovens foi questionado com relação à presença deles nos cinemas para assistir aos filmes de maior bilheteria e se já haviam experimentado o cigarro no período da coleta de dados para o estudo. Os pesquisadores avaliaram também a quantidade de cenas com fumantes nos longas cinematográficos.

Os pesquisadores descobriram que o ato de fumar teve impacto sobre os adolescentes, independente da classificação do filme, como para maiores de 13 anos ou 18 anos. O tabagismo era incomum em obras cinematográficas de classificação livre, dessa forma, não está relacionado ao fumo entre adolescentes, um ponto consistente com pesquisas anteriores. Cerca de 60% dos fumantes jovens surgem devido ao contato com filmes cuja censura é PG-13.

O efeito equivalente de filmes proibidos para menores de 13 e 18 anos, sugere que é o ato de fumar presente na trama que instiga os adolescentes ao tabagismo e não outras características inclusas em filmes impróprios ou pelo interesse do adolescente por eles. Uma classificação com faixa etária para maiores em alguns filmes, com cenas de fumo inclusas, poderia reduzir substancialmente o tabagismo na adolescência.

Por Dr. Jose Luiz Setúbal

Fonte: Influence of Motion Picture Rating on Adolescent Response to Movie Smoking (August 2012, Pediatrics  – Published online July, 9).

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade