PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Um terço dos brasileiros faz trabalho voluntário
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Um terço dos brasileiros faz trabalho voluntário

Um terço dos brasileiros faz trabalho voluntário

16/05/2022
  341   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Uma pesquisa do Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (Idis) revelou que, em 2021, 34% dos brasileiros com mais de 16 anos, praticaram o voluntariado no Brasil. O estudo, realizado pelo Datafolha no mês de abril, também mostrou que não há diferença em relação ao perfil do voluntário na questão de gênero: 51% mulheres, 48% homens e 1% trouxe outras respostas. A idade média de maior destaque ficou nos 43 anos.

No que diz respeito aos motivos, os voluntários têm o desejo de fazer o bem e gostam de poder impactar positivamente a vida das pessoas. Com isso, o voluntariado vem sendo percebido e reconhecido como uma experiência transformadora para quem recebe e para quem faz.

A pandemia também mostra sua influência no voluntariado, uma vez que 47% dos voluntários passaram a fazer mais atividades, a participar e contribuir ainda mais. O apoio aos programas de assistência, a participação em ações de mobilização, o atendimento a novos grupos populacionais, a doação de recursos e a adoção ou ampliação do voluntariado à distância ou online foram as atividades que mais cresceram.

A solidariedade foi o que impulsionou 74% das pessoas para essas ações. A maior motivação: ajudar o outro. Se por um lado voluntários buscam fazer uma atividade com o propósito ou a causa com que tem forte identificação, o urgente, mobilizou as pessoas para a ação: fome, pobreza e desigualdades. Atender famílias, comunidade e pessoas em situação de rua tiveram destaque entre os públicos beneficiados.

Mas nem tudo é fácil ou tranquilo, os voluntários encontraram algumas dificuldades em suas atividades, como lidar com pessoas que nem sempre estão verdadeiramente empenhadas em fazer o bem, impotências, demandas que vão além do que conseguem realizar, a frustação com a constância, a fidelização das pessoas ao projeto e o preconceito com determinadas causas e públicos.

A informalidade e a falta de estrutura dos programas de voluntariado ainda é uma realidade. Poucos (45%) têm conhecimento sobre a lei do serviço voluntário no Brasil e menos de 20% assina o termo de adesão ao serviço. Isso aponta o vasto campo de trabalho para organizações, inclusive as online: 84% dos voluntários desconhecem as plataformas e sites de promoção ao voluntariado.

Uma média de 9,1 – em uma escala de 0 a 10 – na satisfação com a própria atividade voluntária segue alta, mesmo com os desafios enfrentados: no tipo de atividade, no retorno recebido e no apoio para realizá-la. A pesquisa apontou ainda um conhecimento sobre o que é voluntariado. Segundo os voluntários, doação de recursos não é voluntariado, mas doadores e voluntários formam uma rede de apoio, se complementam, onde cada um contribui como pode e com o que pode, seja dinheiro, objetos ou tempo.

E quem pode ser voluntário? Todos podem ser voluntários! Mas quais são as habilidades necessárias para fazer trabalho voluntário? Existe a possibilidade de trazer as habilidades pré-existentes, mas também é possível desenvolver novos talentos. Há um consenso entre os voluntários: engajamento, comprometimento e colaboração são essenciais!

Existe também o trabalho voluntário realizado pelas empresas, que também nos trouxe uma boa notícia: o reconhecimento do seu poder de engajamento. 15% dos voluntários se mobilizaram pelos programas de voluntariado corporativo.  O voluntariado aparece como parte das boas práticas do ESG/ASG. São as empresas ocupando todos os espaços da comunidade.

Para a nossa Fundação, que acredita na força da sociedade civil como agente de transformação social, e que mantemos um programa de voluntariado ativo no Sabará Hospital Infantil, uma pesquisa dessas e com esses resultados nos deixa com muita esperança.

O voluntário é agente de reconstrução do nosso país! Atua com intencionalidade, empatia e resiliência. Compartilha conhecimento, experiências e expertises. 96% dos voluntários concordam que a atividade voluntária os inspira a serem pessoas melhores e 89% concordam que a atividade voluntária é a melhor forma de auxiliar a sociedade.

Unidos e em colaboração vamos construir um país mais justo, igualitário, e, por meio da solidariedade e do voluntariado, deixar um legado para as gerações futuras.

Saiba mais:

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.