PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Hematúria – sangue na urina
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Hematúria – sangue na urina

Hematúria – sangue na urina

21/10/2020
  152   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Agora, nestes tempos de pandemia, todos ficamos com medo de aparecer nos hospitais e, como consequência, as crianças que procuram o Sabará Hospital Infantil muitas vezes demoram para ir. Quando vão, estão com quadros mais graves de doenças que poderiam ser resolvidas rapidamente. Sangue no xixi – a hematúria – é uma delas. Não é incomum que as crianças às vezes tenham sangue na urina. Isso pode acontecer por diferentes causas, muitas das quais desaparecem espontaneamente ou são facilmente tratadas.

Mas o que é hematúria?

O sangue na urina é denominado hematúria. Às vezes a urina parece normal, na privada ou no pinico, mas o sangue é detectado numa análise laboratorial. Essa é a versão microscópica do problema. A Hematúria macroscópica pode ser vista a olho nu. A urina fica rosa, vermelha, cor de chá ou Coca-Cola.

O sangue na urina pode vir de qualquer parte do trato urinário. Dos rins, dos ureteres (tubos que conectam os rins à bexiga), da própria bexiga (onde a urina é armazenada) ou da uretra (o tubo que vai da bexiga para o exterior do corpo). Muitas crianças saudáveis ​​têm hematúria microscópica que desaparece em poucas semanas.

Tenha em mente: xixi de cor vermelha ou escura nem sempre significa que há sangue na urina. Às vezes, certos medicamentos ou corantes alimentares podem fazer com que a cor mude. Mas é importante conversar com seu pediatra se você não tem certeza da causa.

O que causa hematúria? As causas de hematúria em crianças incluem:

  1. Exercício vigoroso.
  2. Infecções do trato urinário.
  3. Níveis elevados de cálcio na urina (chamados hipercalciúria).
  4. Pedras nos rins.
  5. Trauma ou lesão.
  6. Problemas estruturais ou bloqueio do trato urinário.
  7. Condições genéticas.
  8. Doença renal inflamatória (glomerulonefrite).
  9. Câncer (muito raro).

Que exames podem ser feitos?

 O mais simples é um exame que pode ser feito no consultório do médico com um papel especial que detecta se há sangue na urina. Um exame de urina tipo I também pode ser pedido pelo pediatra.

  • Ultrassom renal e da bexiga. Ele procura cistos, cálculos renais, tumores e muitas outras causas de hematúria.
  • Cultura de urina. Este teste procura infecção do trato urinário.
  • Creatinina sérica. Esse exame de sangue verifica se os rins estão funcionando bem.
  • Hemograma completo. Este exame de sangue verifica se há anemia (glóbulos vermelhos insuficientes) e evidências de infecção (contagem elevada de glóbulos brancos).
  • Proteínas do complemento. Esse exame de sangue ajuda a diagnosticar algumas causas de doenças renais chamadas glomerulonefrite (inflamação dos rins).
  • Cálcio na urina. Este teste verifica se há níveis elevados de cálcio na urina. Pode resultar em cálculos renais ou sangue na urina, mesmo na ausência de cálculos.
  • Proteína da urina. Às vezes, esse exame pode ajudar a distinguir entre hematúria causada pelo próprio rim ou pelo tubo do trato urinário (ureteres, bexiga, uretra).
  • Biópsia renal. Este exame é necessário quando o médico pensa que pode haver danos nos filtros dos rins. Uma biópsia renal é realizada no hospital.
  • Cistoscopia. Este exame procura sangramento do ureter, bexiga ou uretra. É incomum que as crianças precisem de cistoscopia. Para esse exame, o médico (um urologista pediátrico) insere um tubo estreito com uma pequena câmera na extremidade para examinar a bexiga e a uretra em busca da causa da hematúria.

Quais são as opções de tratamento?

  • Tudo depende do que está causando a hematúria. Muitas vezes, nenhum tratamento é necessário. As infecções são tratadas com antibióticos. Se houver um alto nível de cálcio na urina, mudanças na dieta podem ser recomendadas, como pouco sal nos alimentos e beber mais água. Às vezes, a medicação também pode ser prescrita para ajudar a reduzir os níveis de cálcio na urina.
  • Em pacientes com glomerulonefrite, o tratamento inclui medicamentos que diminuem a inflamação nos rins e em algumas crianças, também são administrados medicamentos para controlar a hipertensão. Os cálculos renais nem sempre requerem tratamento, mas podem precisar ser removidos se estiverem causando dor ou infecções.
  • Em cerca de um em cada quatro casos, os médicos podem não conseguir encontrar a causa da hematúria. Se todos os testes forem normais e o sangue permanecer na urina, exames anuais são recomendados para garantir que o paciente não comece a desenvolver doença renal.

Quando devo contatar o médico?

 Se o seu filho continuar a ter sangue na urina ou apresentar sintomas urinários (como ir ao banheiro com muita frequência, sentir dor ao urinar ou sentir dor na barriga e nas costas).

  • Se houver febre, dor nas costas ou nas laterais.
  • Se o seu filho está ficando inchado e parece estar urinando menos.
  • Se seu filho está incomumente irritado, tendo dores de cabeça frequentes ou diminuindo a energia.
  • Se houver outros sintomas, como dor nas articulações ou erupção na pele.

No Sabará Hospital Infantil contamos não só com uma equipe de pediatras preparada para atender seu filho e oferecer toda a orientação que for necessária, como também nossos nefrologistas e urologistas – tanto do hospital como do Centro de Excelência – são capazes de resolverem todos os problemas do aparelho urinário da criança e do adolescente.

Saiba mais:

Fonte: Academia Americana de Pediatria, Sociedade Americana de Nefrologia Pediátrica e a National Kidney Foundation Patient Education Collaborative (Copyright © 2020)

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade