PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
O sono infantil e a genética
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
O sono infantil e a genética

O sono infantil e a genética

19/08/2013
  2884   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Falar do sono infantil deixa todo casal apreensivo e até com medo de ter filhos. Neste interessante artigo, vamos desmistificar um pouco o assunto. Ou não…

Um estudo com quase mil gêmeos canadenses, recém-nascidos, dos anos de 1995 a 1998, localizados em Montreal, descobriu que a genética desempenha papel importante no tempo em que bebês e crianças pequenas dormem à noite. Foi apurado que fatores ambientais são mais influentes para cochilos diurnos.

Os pais responderam questões sobre o sono dos filhos nas idades de 6, 18, ​​30 e 48 meses. Os pesquisadores analisaram as respostas e comparou-as com os resultados entre gêmeos fraternos e idênticos para trazer à tona quais hábitos foram mais influenciados pela genética ao invés do meio ambiente.

Os resultados mostraram que a genética influencia como as crianças dormem à noite. Foi analisada também a persistência do sono de curta duração. Aos 18 meses de idade, o tempo de sono também teve significante influência de fatores ambientais, o que sugere que é um bom momento para os pais implementarem estratégias para melhorar os hábitos dos filhos à noite.

A análise também mostrou que os hábitos infantis de sono diurno são fortemente influenciados pelos fatores ambientais, ao invés da genética.

Estudos adicionais são necessários para determinar quais genes contribuem para a duração do sono noturno, curto e persistente, e que fatores ambientais são mais importantes para o sono diurno na Primeira Infância.

Saiba mais sobre sono infantil no nosso blog:

Televisão: o inimigo do sono infantil

Pausa para a soneca!

Os distúrbios do sono na infância

Fonte: Genetic and Environmental Influences on Daytime and Nighttime Sleep Duration in Early Childhood

Atualizado em 13 de maio de 2024

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

(CRM-SP 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, com especialização na Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduação em Gestão na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás, David e Benjamim.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • Ana Francisca Borges Fenley Botelho Scholz disse:

    A melhor experiência da minha vida é ser mãe!
    Lembro-me quando minhas “crianças” davam muito trabalho e os mais velhos diziam que ficaria com muita saudades do tempo de cuidados tão especiais e muitas vezes exaustivos…
    Fazê-los dormir, quando queriam pular…
    Cuidar do sono, da serenidade, da paz de esperíto é fundamental.E, ao mesmo tempo muitas vezes estressante…mas o conhecimento daquilo podemos fazer para o bem estar dos amados filhotes… e quem dera do mundo. É prioridade!
    Talvez sem assim tivesse sido, o mundo atual não precisasse de tantos remédios, os cuidados com a saúde e especialmente o sono infantil é uma empreitada para toda vida.
    Excelente artigo. Valeu Dr. José Luiz!

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.