PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
A Madre Teresa do Sabará
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
A Madre Teresa do Sabará

A Madre Teresa do Sabará

14/12/2023
  240   
  2
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Maria, cozinhando para 60 pessoas no Viagem Fantástica: “Foi o momento mais gratificante da minha jornada como voluntária até aqui”

Maria Lúcia Barbosa é uma das 109 voluntárias que doam seu tempo e carisma para tornar o ambiente hospitalar menos hostil para as crianças

A voz doce de Maria Lúcia, por si só, já é um abraço. Sua fala tem um tom sereno e é assim que ela descreve com cuidado o trabalho que realiza, por exemplo, separando caixas de papelão para a construção de brinquedos, como jogos de cartas e de memória, que serão usados nas atividades que ela orienta no Sabará Hospital Infantil. Ela está lá todas as quartas, das 9h às 12h. “Gosto porque não é um momento só de interação e brincadeira; a gente aprende muito com as crianças”, declara, orgulhosa. A aposentada de 62 anos participa desde 2021 do programa de voluntariado, ligado ao Instituto PENSI. O objetivo do projeto é tornar o ambiente hospitalar menos hostil para as crianças e adolescentes que estão passando por tratamento e internação.

Maria nasceu em Bonito, no interior de Pernambuco. Os pais são do Recife e decidiram se mudar para São Paulo quando ela tinha três anos. Criada no bairro Jardim Celeste, Zona Sul de São Paulo, é a segunda filha de quatro irmãos. “Tivemos uma infância feliz. Meus pais sempre foram a minha maior inspiração”, diz, referindo-se a Terezinha e Leonardo, falecido há dez anos. Apaixonada por leitura desde pequena, guardava todo dinheiro que sobrava para comprar livros. Mostrou a mesma motivação que tinha para leitura para buscar a independência. “Comecei a trabalhar aos 15 anos numa empresa de equipamento de segurança e, de lá para cá, não parei, até completar 60.”

Já adulta, Maria sentiu vontade de ajudar os outros, o que a levou ao curso de serviço social, contra a vontade da mãe, que encarava a profissão desvantajosa do ponto de vista financeiro. “Eu dizia: ‘Mãe, eu quero fazer a diferença na vida das pessoas’”, conta. Depois de formada, trabalhou algum tempo na área de assistência social, porém não seguiu a carreira. Diz ter se decepcionado com a falta de foco na proteção humana.

Maria Lúcia se tornou então gerente operacional na área de qualidade, ligada a serviços gerais, em que o perfil da mão de obra era de pessoas menos favorecidas e marginalizadas da periferia de São Paulo. “Eu usei a minha empatia para fazer a diferença na relação com essas pessoas”, afirma. Reconhecida pelo trabalho humano e afetivo, ganhou o apelido de Madre Teresa por parte dos colegas e da equipe. “Eu me importava com eles e ajudava no que podia.”

Mão na massa: no Sabará, finalizando as naninhas que são entregues no Dia das Crianças

Sempre com vocação para melhorar a vida do próximo, assim que se aposentou, Maria fez um curso de cuidador de idosos para poder ajudar a mãe e o sogro. Nessa época, ainda durante a pandemia de covid-19, ela se inscreveu no voluntariado do Sabará atraída pelas atividades lúdicas do programa. Quase três anos se passaram, mas ela ainda se considera uma novata na área, com potencial para aprender mais. Em outubro, participou de uma experiência diferente: o Viagem Fantástica, quando cozinhou para 60 pessoas, entre voluntários que reformaram em um dia o Serviço de Acolhimento Institucional para Crianças e Adolescentes (Saica) da Penha e crianças do local. “Era estrogonofe de frango, arroz, batata e salada, mas para eles era como se fosse um manjar dos deuses”, brinca. Na hora de revelar o segredo do tempero, ela confessa que depositar amor faz as coisas mais gostosas. “Eu sempre tive tanta gratidão pela vida! Por ter tido meus pais do meu lado me apoiando, por ter cinco filhos, três netos… Queria retribuir e transformar essa gratidão pela vida alegre que tive em algo palpável para o próximo.” Conseguiu.

Maria, com o jaleco rosa das voluntárias: apoio emocional também às famílias

 

Por Rede Galápagos

Leia mais:

2023: o ano em que nossos 109 voluntários doaram 10 mil horas

As boas práticas do Johns Hopkins que podemos (e vamos) adotar

Escudo emocional: projeto auxilia professores a identificar e ajudar alunos com problemas comportamentais

O que vimos no Congresso Americano de Pediatria 23 e o que teremos no Congresso Internacional Sabará-PENSI 24

 

Comunicação PENSI

Comunicação PENSI

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • Solange de mattos disse:

    Gostaria de saber se voces tem estagio de servico social não remunerado

    • Comunicação PENSI disse:

      Prezada Solange,
      Agradecemos o seu interesse em fazer parte da nossa Instituição!
      Todas as vagas disponíveis no Instituto PENSI e no Sabará Hospital Infantil podem ser conferidas no portal da GUPY: sabarahospitalinfantil.gupy.io
      Basta efetuar o cadastro na plataforma, guardar o seu login e senha e se candidatar à vaga de interesse.
      Atenciosamente,
      Instituto PENSI

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.