PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
As escolas não deveriam deixar as máscaras, sugere estudo do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC)
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
As escolas não deveriam deixar as máscaras, sugere estudo do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC)

As escolas não deveriam deixar as máscaras, sugere estudo do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC)

02/08/2021
  244   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Uma nova pesquisa divulgada no final de maio pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) reforça uma mensagem antiga: o COVID-19 se espalha menos nas escolas onde professores e funcionários usam máscaras. No entanto, o estudo chega quando os estados e distritos escolares de todo o país começam a reduzir ou simplesmente a abandonar os requisitos de mascaramento para funcionários e alunos.

Com a maioria das crianças em idade escolar ainda muito jovem para se qualificar para a vacinação, a pesquisa é o último tiro em uma luta feroz entre autoridades de saúde pública americana e políticos – com pais fazendo fila em ambos os lados.

O novo estudo vem da Geórgia e compara as taxas de infecção de COVID-19 em 169 escolas. Algumas escolas exigiam que professores, funcionários e, às vezes, alunos usassem máscaras.

Entre 16 de novembro e 11 de dezembro, os pesquisadores descobriram que as taxas de infecção eram 37% mais baixas nas escolas onde professores e funcionários eram obrigados a usar máscaras. A diferença entre escolas que exigiam e não exigiam que os alunos usassem máscaras não era estatisticamente significativa.

Este é mais um estudo que mostra que o uso de máscaras , entre outros esforços de mitigação, pode reduzir infecções e, em última análise, salvar vidas. Outro estudo anterior do CDC, de escolas na Flórida, também encontrou “uma forte associação com os requisitos de máscara do aluno e taxas mais baixas de infecções em alunos”

Como qualquer estudo, o lançamento vem com ressalvas. Apenas 12% das escolas convidadas a compartilhar seus dados o fizeram. E vale sempre a pena lembrar: correlação não é causalidade. Ainda assim, os resultados oferecem um aviso importante para os estados e distritos escolares que agora estão suspendendo seus requisitos de máscara para escolas, especialmente para adultos: é mais seguro se você não fizer isso.

Nos EUA como no Brasil, existe uma politização em relação ao uso de máscaras. Em muitos estados os governadores deixam a critério dos pais e proíbem as escolas de tornar o uso obrigatório. Especialistas em saúde pública foram rápidos em soar o alarme.

Enquanto o CDC reduziu recentemente sua orientação de uso de máscaras para pessoas que estão totalmente vacinadas, a agência também reiterou que as escolas devem continuar a exigir a utilização universal, pelo menos até o final do ano letivo atual. Embora uma vacina tenha sido aprovada para uso em crianças de 12 a 15 anos, essas crianças não serão consideradas totalmente vacinadas por mais um mês.

Até que as vacinas sejam elegíveis para todas as crianças, é difícil abandonar as práticas que sabemos que funcionam melhor para prevenir a propagação do COVID. O Dr. Anthony Fauci, consultor médico chefe da Casa Branca, disse à TV americana que é concebível que o CDC recomende que as escolas de ensino fundamental e médio fiquem sem máscara no outono – se alunos de 12 anos de idade e mais velhos forem vacinados.

Como nossas autoridades não tem se manifestado de forma regular e adequada para se posicionar com uma política pública única para todo o país, esperamos que os governadores e as escolas se escorem em dados científicos para orientar os pais e professores para que todos se protejam de forma adequada.

Para nós, parece que o mais prudente seja que as crianças, os professores e funcionários das escolas continuem a usar as máscaras.

 Saiba mais:

 

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade