PESQUISAR

Residência Médica
Residência Médica
Entenda a segurança das vacinas DTaP
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Entenda a segurança das vacinas DTaP

Entenda a segurança das vacinas DTaP

17/09/2018
  1228   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Estamos vivendo uma época onde as pessoas estão duvidando da segurança e necessidade de se tomar vacinas.

O número de pessoas que não tomaram vacina de gripe neste ano, é apenas um sinal do que ocorre não só no Brasil, mas em boa parte do Mundo.

Um estudo que revisou os relatórios dos EUA de eventos adversos envolvendo a vacina DTaP (Tríplice acelular) ao longo de um período de 19 anos não encontrou problemas de segurança novos ou inesperados.

O estudo “Vigilância de Segurança de Vacinas contra Difteria, Toxóide Tetânico e Coqueluche Acelular (DTaP)” publicado na edição de julho de 2018 da revista Pediatrics, analisa os relatórios feitos no Sistema de Notificação de Eventos Adversos de Vacinas dos EUA, de 1991 a 2016.

Pesquisadores analisaram mais de 50 mil relatórios envolvendo vacinas DTaP, que protegem contra difteria, tétano e coqueluche, e recebem como uma série de cinco doses para crianças com idades de dois meses; quatro meses; seis meses; entre 15 e 18 meses; e entre as idades de quatro e seis (mesmo esquema que o Brasil preconiza).

Do total de relatos adversos, 11% foram classificados como sérios. Em quase 88% de todos os casos, as vacinas DTaP foram relatadas como sendo administradas concomitantemente com uma ou mais outras vacinas.

Os eventos mais frequentemente relatados foram eritema (vermelhidão) no local da injeção (25%), pirexia –febre- (20%), inchaço no local da injeção (150%), edema-inchaço- (11%) e calor no local da injeção (4793; 9,6%).

Nenhum evento adverso novo ou inesperado foi detectado. O relato desproporcional observado para alguns erros graves de vacinação exige uma melhor educação dos provedores de vacina sobre as indicações específicas para cada uma das vacinas DTaP.

Como podemos ver, se trata de uma vacina muito segura e que pode proteger as crianças ou mesmo a sociedade como um todo de doenças que antigamente eram verdadeiros flagelo e que graças à vacinação em massa, os casos foram reduzidos a índices muito pequenos fazendo com que a população perdesse a memória do flagelo e consequentemente o medo destas doenças.

Nosso papel enquanto Fundação dedicada à saúde infantil é, entre outros, o de levar informações para que os pais possam tomar uma decisão melhor embasada em relação à saúde de seus filhos.

Saiba mais sobre a vacina no blog do Hospital Infantil Sabará:

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: June 2018

From the American Academy of Pediatrics

“Safety Surveillance of Diphtheria and Tetanus Toxoids and Acellular Pertussis (DTaP) Vaccines”

Pedro L. Moro, Silvia Perez-Vilar, Paige Lewis, Marthe Bryant-Genevier, Hajime Kamiya, Maria Cano

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

NOSSAS INICIATIVAS
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade